Expulsos da PM, dirigentes falam de 'censura' da SDS

Presidente da Associação de Cabos e Soldados de Pernambuco (ACS-PE), Albérisson Carlos, classificou o governo como autoritário e ditador. Ele é um dos expulsos da PM

por Alice Mota seg, 19/06/2017 - 13:43

O presidente e vice-presidente da Associação de Cabos e Soldados de Pernambuco (ACS-PE), Albérisson Carlos e Nadelson Leite, respectivamente, em entrevista na manhã desta segunda-feira (19), afirmam que a atitude da Secretaria de Defesa Social (SDS) se trata de "um ato de censura". Ao lado do advogado da associação, François Cabral, anunciaram que vão entrar com um recurso para que a decisão seja reconsiderada.

Cabral afirma que a decisão foi tomada com uma pressa incomum, classificando-a como desproporcional diante das ações dos dirigentes da ACS. "É um processo única e exclusivamente relacionado às críticas", disse, referindo-se ao vídeo divulgado nas redes sociais no qual os líderes criticam o governador Paulo Câmara e o ex-secretário de Defesa Social, Alessandro Carvalho. 

Ele lembra que Nadelson e Alberisson foram dispensados do exercício de policiais militares em 2014 para ficarem à frente da associação.

O presidente da ACS conta que se trata de um ato de censura, uma vez que foi expressa o ponto de vista de uma entidade de trabalhadores contra figuras de autoridade. Ele explica, ainda, como enxergam a decisão de excluí-los. "Recebemos a notícia com tristeza, mas sem surpresa. (...) Hoje aconteceu uma demissão de caráter político", diz Albérisson, ao chamar o governo de autoritário e ditador.

COMENTÁRIOS dos leitores