Após seis anos, Suécia arquiva processo contra Assange

Fundador do WikiLeaks vive refugiado em embaixada desde 2012

Ansapor sex, 19/05/2017 - 07:40
Reprodução Reprodução

A Procuradoria da Suécia arquivou a investigação contra o fundador do site WikiLeaks, Julian Assange, que há quase sete anos era acusado de estupro pela relação sexual com duas mulheres. Em anúncio nesta sexta-feira (19), a promotora pública Marianne Ny disse que foi decidido "interromper a investigação", sem dar outros detalhes.

Assange vive refugiado desde 2012 na embaixada do Equador em Londres e sempre se negou a ir para a Suécia responder pelo processo, pois alegava que corria o risco de ser extraditado ao Estados Unidos, onde poderia ser julgados por crimes contra o Estado devido à revelação de segredos militares e diplomáticos de Washington via WikiLeaks.

A Scotland Yard ressaltou que, apesar do processo na Suécia ser arquivado, o mandado de captura contra Assange continua válido.

Mas deve sair em breve uma decisão do Tribunal de Estocolmo sobre um pedido de Assange para que a Suécia retire o mandado de captura europeu. Assange era investigado sob acusação de ter praticado sexo sem consentimento com duas mulheres na Suécia, mas o jornalista australiano sempre negou os crimes. Ele argumentava que estava sendo perseguido pelas autoridades dos EUA pelo vazamento de dados sigilosos. 

COMENTÁRIOS dos leitores