Nacional Ceará Paraíba Pará Pernambuco São Paulo

Dez jovens participaram da morte de interno da Funase

Rapazes foram identificados por meio das imagens das câmeras de circuito interno

por Naiane Nascimento seg, 20/03/2017 - 09:33
Libia Florentino/LeiaJáImagens/Arquivo Em rebelião, adolescentes tocaram fogo em colchões Libia Florentino/LeiaJáImagens/Arquivo

Na noite do último domingo (19), por volta das 20h, um motim foi registrado na Fundação de Atendimento Socioeducativo (Funase) de Abreu e Lima, na Região Metropolitana do Recife (RMR). De acordo com o órgão, a confusão resultou na morte de um interno provocada por outros dez adolescentes da unidade. 

Em nota à imprensa, a Funase afirma que “ao todo, dez adolescentes envolvidos diretamente na morte do socioeducando de 17 anos foram identificados por meio das imagens das câmeras de circuito interno da unidade e encaminhados ao Departamento de Homicídio e Proteção à Pessoa (DHPP), que, ainda na noite de ontem, enviou uma equipe ao local para iniciar a apuração dos fatos”. 

Após o incidente, a Fundação informa que o clima nesta manhã “é de tranquilidade” e que a confusão foi controlada ainda durante a noite do domingo pelo Batalhão de Choque da Polícia Militar. Além disso, foi aberta uma sindicância, por meio de sua Corregedoria, para apurar as causas e possíveis responsabilidades da rebelião. “Uma equipe de técnicos da Diretoria Geral da Política de Atendimento (DGPAT) e da Assessoria Técnica de Unidades de Internação (Atin) segue à unidade para dar todo o suporte técnico e administrativo”. O órgão aponta que os dois maiores de idade envolvidos foram encaminhados ao Centro de Observação e Triagem Everardo Luna (Cotel). Já os oito menores de idade seguiram para a Unidade de Atendimento Inicial (Uniai).

Durante a rebelião, os adolescentes tocaram fogo em colchões e foi necessária a presença do Corpo de Bombeiros para controlar as chamas. Além disso, “um trabalho de varredura foi realizado pelos homens do Batalhão de Choque da Polícia Militar, não sendo registrada nenhuma fuga”. A Funase aponta que nenhum interno ficou ferido e “os familiares da vítima foram comunicados do fato e todo o apoio será dado aos parentes”.

COMENTÁRIOS dos leitores