Apenas 17% dos desaparecidos são encontrados em Pernambuco

Algumas vítimas não buscam a polícia após o regresso, diminuindo ainda mais o índice

por Naiane Nascimento ter, 02/06/2015 - 12:51

Durante os últimos dias, Pernambuco se comoveu e foi mobilizado com o caso Vaniela, no entanto, os desaparecidos crescem mais a cada dia e, infelizmente, nem sempre tem um desfecho positivo. Somente nos primeiros quatro meses de 2015 centenas de pessoas sumiram e apenas pouco mais de 17% foram encontrados.

Ao todo, no estado de Pernambuco, já foram registrados 962 casos, entre os meses de janeiro a abril deste ano, mas apenas 172 pessoas foram encontradas. De acordo com a Polícia Civil, esse número pode ser maior, visto que nem todas as vítimas que regressam se encaminham à delegacia após reaparecerem. 

 

Dentre os desaparecidos estão crianças, jovens, adultos e idosos de diferentes idades, sendo a faixa etária de 12 a 17 anos os mais vitimados, chegando ao número de 323 nesses meses iniciais do ano. Em segundo lugar, estão as pessoas de 35 a 64 anos, alcançando o número de 175. Já os cidadãos de idades entre 18 e 24 correspondem a 118 registros, ocupando o terceiro maior índice. 

A cada 15 minutos um jovem desaparece no Brasil, de acordo com informações do Conselho Federal de Medicina que possui um Conselho de Desaparecidos.  E, segundo a Polícia Civil de Pernambuco, as crianças geralmente são encontradas mais rapidamente, pois muitas vezes elas estão somente perdidas. 

Como procurar 

De acordo com o Cadastro Nacional de Pessoas Desaparecidas, ao perceber o desaparecimento de uma pessoa, é necessário buscar por ela no último lugar em que se tomou conhecimento de que estaria; refazer trajetos e perguntas à população local; contatar amigos e familiares em busca de informações também é um procedimento que contribui bastante para a busca.

Após colher esses dados é importante ir até uma delegacia fazer um boletim de ocorrência. Este processo, ao contrário do que se pensa, pode ser feito no momento em que for percebido o desaparecimento, e o agente é obrigado a registrar e iniciar as buscas, não sendo necessário esperar 24h para acionar a polícia. 

Após isso, a busca deve continuar, o inquérito deve ser acompanhado e é primordial que haja a colaboração com as autoridades por parte dos familiares, amigos e todos que possuam informações. 

É importante registrar a pessoa desaparecida no Cadastro Nacional para que se tenha mais visibilidade, possibilitando mais uma forma de busca.

COMENTÁRIOS dos leitores