Concurseiros da PM protestam em frente ao Hemope

Protesto dos aprovados no concurso da PM foi marcado pelo pacifismo e solidariedade

por Jullimaria Dutra | qua, 25/04/2012 - 17:28 | Atualizada em: qua, 25/04/2012 - 18:47
Compartilhar:

 

Aprovados no concurso para soldado da Polícia Militar, realizado no ano de 2009, protestaram pacificamente, na tarde desta quarta-feira, em frente a Fundação Hemope, no bairro das Graças, área central do Recife. A mobilização, que tem por finalidade chamar a atenção dos representantes do Governo referente ao não cumprimento do Edital do concurso, foi marcada por doações de sangue realizadas pelo grupo de aprovados.

Para a primeira etapa foram aprovados 6.812, já para a segunda, deveriam ter sido chamados 3.812, mas foram selecionados o exato número de vagas, sem haver qualquer tipo de concorrência. Na época, o Governo declarou que a medida de limitar o número de chamados foi tomada porque sairia oneroso para o Estado dar o curso de formação que tem um custo por cada soldado de 980 reais. Segundo um dos aprovados, Alexandre Sales de Luna, no edital está escrito que a seleção tem caráter eliminatório. Mas, de acordo com ele, a informação não foi cumprida à risca. “Existiam 3.812 pessoas que deveriam ter sido chamadas para realizar a segunda etapa da seleção – curso de formação da PM – e foram chamadas exatamente 2.100 pessoas, ou seja, o número exato de vagas”.

Renan Gomes também pertence ao grupo dos aprovados não selecionados para a segunda etapa do concurso e se disse indignado com a demora do Governo em se posicionar claramente a respeito. “Fala-se que a intenção é convocar os que foram lesados no segundo semestre, mas ninguém tem muita certeza. Queremos apenas datas exatas, uma resposta concreta e definitiva”, declarou.

A validade do concurso é de dois anos, podendo ser prorrogado por mais dois. Ao todo, foram 103 mil inscritos.

Embed

| | | Link:
Compartilhar: