Jornalista chinesa condenada acinco anos de prisão

Dezenas de policiais bloquearam o acesso ao tribunal de Pequim onde a sentença foi anunciada

qui, 26/11/2015 - 09:45
GREG BAKER Polícia e jornalistas em frente ao tribunal de Pequim GREG BAKER

A jornalista chinesa Gao Yu, de 71 anos, condenada por "divulgação de segredos de Estado", obteve uma redução da pena de dois anos na análise de seu recurso, anunciou o advogado da repórter. Dezenas de policiais bloquearam o acesso ao tribunal de Pequim onde a sentença foi anunciada.

"Nós acreditamos que é inocente. A pena é apenas mais leve, é uma pequena melhoria", declarou à AFP o advogado Mo Shaoping. Primeira vencedora, em 1997, do Prêmio Mundial da Liberdade de Expressão da Unesco, a jornalista foi detida em abril de 2014 e declarada culpada alguns meses depois de "ter transmitido segredos de Estado a estrangeiros".

Gao Yu foi acusada de transmitir a um meio de comunicação de Hong Kong um documento interno do Partido Comunista chinês. O texto defendia uma repressão maior das ideias democráticas, das vozes discordantes procedentes da sociedade civil e das tentativas de independência da imprensa.

Com saúda frágil, a jornalista idosa sofre de problemas cardíacos desde que foi levada para a prisão. O advogado afirmou que existe uma "possibilidade" de liberação da cliente por motivos médicos. No ranking mundial de liberdade de imprensa em 2015 elaborado pela organização Repórteres Sem Fronteiras (RSF), a China aparece na posição 176, de um total de 180 países.

COMENTÁRIOS dos leitores