Leston fala em time ideal após "cinco ou seis partidas"

Apesar de ter sido melhor na partida contra o Treze-PB, o treinador tricolor garante que tem muito a ser feito

por Luan Amaral qua, 09/01/2019 - 09:27
Reprodução Santa Cruz Leston prega cautela e crê em evolução a longo prazo Reprodução Santa Cruz

Na noite dessa terça-feira (8) o Santa Cruz realizou seu primeiro e provável último amistoso antes da estreia oficial na Copa do Nordeste. O jogo contra o Treze-PB aconteceu no estádio Amigão em Campina Grande e terminou empatado a uma bola. Os gols foram de Juninho, pelo Galo da Borborema, e Augusto, pela Cobra Coral.

Em fase de testes, o comandante tricolor se viu obrigado a alterar a equipe em relação aos jogos-treinos realizados contra o sub-20, Serrano e AGAP. Charles, com problemas intestinais, e Allan Dias, com dores, deram o lugar a Eduardo e Hericlis.

O jogo foi bastante movimentado inclusive nas substituições. Leston aproveitou a oportunidade para estrear alguns jogadores como o atacante Jô e Cesinha. Foram oito mudanças ao todo. O Treze também realizou várias alterações e terminou a partida sem nenhum dos jogadores que iniciaram o confronto. Leston comentou sobre as mudanças e confessou que a estratégia foi alterada após as mudanças do Treze-PB.

“Quando o Treze-B troca demais, o jogo já perde um pouco o componente “jogo” e se torna uma atividade um pouco menos intensa e ai nós acabamos mudando nossa estratégia também, que no primeiro momento não era só uma questão de focar no resultado, era tentar manter o nível de exigência alto para que a gente pudesse levar mais tempo, mas como houve essa descaracterização optamos por oportunizar outros jogadores. Era importante dá vivencia um pouquinho para o Cesinha, o Augusto Potiguar para o João Victor que não teve oportunidade contra o Serrano. Fisicamente tentar dá um pouco de minutos para o Jô que tem só oito dias que chegou”, confessou Leston.

O treinador ressaltou a importância de uma partida com um grau de dificuldade maior contra uma equipe com um bom tempo de preparação e seis amistosos realizados até aqui. Leston espera aprender com os erros e até ressalta que eles aconteçam nesse momento da temporada a tempo de serem corrigidos antes da estréia na Copa do Nordeste.

“Como a gente já vinha falando era importante essa atividade para que a gente possa mensurar tudo aquilo que nos ainda temos para crescer, obviamente a gente já tinha feedback de algumas coisas. O primeiro tempo foi prova disso. Quando você está construindo um time, geralmente o gol gera instabilidade. Dessa vez não gerou, a equipe conseguiu se manter equilibrada e empatou logo e teve na seqüência algumas possibilidades para concluir em gol e de repente virar o jogo no primeiro tempo, mas alguns erros foram importante de acontecer. Quando nós escolhemos o adversário, foi em cima de uma equipe que tem uma seqüência de seis jogos amistosos. Isso era importante para aumentar nosso nível de exigência pára que nós tivéssemos um ganho nessa avaliação”, ressaltou.

O Santa Cruz estreia dia 15 contra o Fortaleza pela Copa do Nordeste, mas o treinador sabe que o trabalho continua e comentou que “deve demorar de cinco a seis jogos para que a gente atinja um nível próximo do ideal”, finalizou.

COMENTÁRIOS dos leitores