Vitória italiana em Jogos do Mediterrâneo vira polêmica

Ouro foi conquistado por atletas de origem africana

seg, 02/07/2018 - 11:51

A vitória de quatro atletas italianas de origem africana na prova de 4x400 metros dos Jogos do Mediterrâneo desencadeou uma polêmica na Itália, com acusações de racismo entre expoentes políticos e culturais. O Partido Democrático (PD), de centro-esquerda e do ex-premier Matteo Renzi, elogiou as atletas, publicando uma foto do grupo nas redes sociais onde elas aparecem com a bandeira italiana nas costas. "A notícia mais bonita de ontem. Mas ela chega dos Jogos do Mediterrâneo, e não de Pontida", escreveu Renzi no Twitter, em referência à cidade da Lombardia que recebeu no domingo o encontro anual do partido nacionalista Liga Norte.

O escritor Roberto Saviano, autor do livro "Gomorra", fez o mesmo. "Nos Jogos do Mediterrâneo, ouro italiano no 4x400 graças a Libania Grenot, Maria Benedicta Chigbolu, Ayomide Folorunso e Raphaela Lukudo", escreveu o jornalista no Twitter. "Seus sorrisos são resposta à Itália racista de Pontida", completou o escritor.

Internautas, então, começaram a promover a hashtag #PrimeiroAsItalianas e #AsItalianasPrimeiro, como forma de confrontar o slogan de campanha do ministro do Interior e vice-premier, Matto Salvini, da Liga Norte, "Primeiro os Italianos", em defesa dos direitos dos cidadãos locais.

Apesar de Salvini manter um tom neutro, chamando as atletas de "ótimas" e dizendo que gostaria de "se encontrar com elas para abraça-las", o mesmo não ocorreu com o ministro da Agricultura, Gian Marco Centinaio, também da Liga Norte, que entrou na briga com o PD e Saviano. Centinaio acusou as pessoas que elogiaram as atletas de promoveram o racismo e chamou-as de "políticos de salão".

"Ganhamos 156 medalhas nos Jogos do Mediterrâneo, mas Saviano e o PD se lembram somente das vencidas por atletas negras. Quem é racista? Parabéns a TODOS os atletas italianos. A verdadeira resposta aos políticos de salão", escreveu em sua conta no Twitter. "Os verdadeiros racistas são os que se esquecem dos demais atletas que ganharam medalhas", completou. 

Da Ansa

COMENTÁRIOS dos leitores