'Não tem mais tempo para erro', afirma Amaral

Para o volante alvirrubro, é hora do Náutico esquecer a matemática e consertar o que há de errado no time

por Thayná Aguiar ter, 10/10/2017 - 18:02
Chico Peixoto/LeiaJá Imagens/Arquivo O Náutico é o atual vice lanterna da Série B Chico Peixoto/LeiaJá Imagens/Arquivo

Na vice lanterna da Série B, com 23 pontos, o Náutico, mais que nunca, precisa vencer para diminuir a distância da saída da zona de rebaixamento. No próximo sábado (14), o Timbu vai encarar o Guarani, às 19h, no estádio Lacerdão, em Caruaru. Para o volante Amaral, agora é hora de as palavras darem lugar a ações. "A gente não tem mais o que falar, a gente tem é que mostrar atitude. A gente vem falando o ano inteiro e chegou nessa situação. Então acredito que a gente tem que ter atitude para que a gente possa reverter essa situação", disse.

Para Amaral, o foco do Náutico deve ficar voltado apenas para a vitória. "A gente tem que pensar agora só no jogo contra o Guarani no sábado, e tem que esquecer a matemática. Até porque a gente não pode ficar fazendo somas, porque a gente não jogou. A gente tem que jogar respeitando a equipe deles, mas a gente tem quer buscar os três pontos que a gente precisa".

No confronto do próximo sábado (14),a equipe alvirrubra vai enfrentar também um velho conhecido do clube. O técnico Lisca, ex-treinador alvirrubro, é o comandante do Guarani. Para Amaral, esse fato não pode tomar conta do principal objetivo da partida, que é a vitória. "A gente tem que deixar isso de lado e focar totalmente no jogo. A gente sabe que o Lisca é um treinador que tem muita qualidade, uma história bonita dentro do futebol, conhece bem o Náutico, então a gente tem que tentar deixar essas coisas de lado e focar no que nos interessa, que é a vitória".

Com alguns já cogitando montar um elenco para disputar a Série C, no próximo ano, Amaral garantiu que não concorda com esse pensamento. "Se eu concordar, eu vou estar jogando a toalha. E eu nunca fui de jogar a toalha, e acredito que meus compaheiros também não. Pela situação que a gente se encontra hoje, alguns torcedores pensam dessa maneira. Até porque o que a gente vem demonstrando na competição faz com que o torcedor pense desse jeito. Mas a gente tem que acreditar cada vez mais, porque a gente tem chances", finalizou.

COMENTÁRIOS dos leitores