Bueno diz que ausência do presidente não pode ser desculpa

Atacante afirmou que cabe aos atletas, e a comissão técnica, tirar o Santa Cruz da zona do rebaixamento

seg, 09/10/2017 - 20:31
Chico Peixoto/LeiaJáImagens/Arquivo Centroavante acredita que o grupo pode evitar o rebaixamento Chico Peixoto/LeiaJáImagens/Arquivo

Em um momento no qual a derrota para o América-MG aumentou a distância entre o Santa e o primeiro time fora do Z4, não cabe mais discurso cego em otimismo. Agora são cinco pontos que separam o tricolor e um lugar ao sol, se é possível definir assim a permanência na Série B. É algo que Ricardo Bueno já esteve falando durante o campeonato e reforçou em coletiva nesta segunda-feira (9).

"Não estamos abatidos, e sim preocupados. Eu dizia que se a gente não mudasse alguns comportamentos, não poderíamos vir aqui em entrevista falar de acesso. A situação é essa, não podemos nos enganar. A confiança é total de que a gente vai mudar esse quadro do Santa hoje e não seremos rebaixados. Porém, é preciso levantar a cabeça e trabalhar. Se alguém está desconfiado, temos que puxar para o grupo. Precisamos de todos para sair da zona", afirmou.

O atacante revelou que o presidente do clube não está presente no atual momento nos vestiários. Algo que já era falado, em off, pelos funcionários do clube. Porém, tratou de deixar claro que essa distância não pode servir de desculpa para os jogadores se eximirem de responsabilidade. 

"O presidente não tem frequentado o vestiário, mas eu vejo como uma situação normal. Não muda para mim, é um apoio de palavra e incentivo. Mas se a gente não entrar e jogar um bom futebol, nada muda. Não uso isso como escora, temos nossa consciência, porém não é fator para alavancar uma arrancada. É a comissão e os jogadores quem tem mais poder de mudar o nosso quadro", disse Bueno.

As críticas dos torcedores estão se tornando recorrentes nas redes sociais e, no próprio Arruda, se via a insatisfação dos tricolores com o elenco. Perguntado sobre como isso afeta o grupo, o centroavante deixou claro que eles são ouvidos, mas apenas no que pode ser construtivo para o time crescer. "Estamos tentando nos blindar o máximo possível para tentar as vitórias, ter uma resposta pelo nosso trabalho. A situação que estava no início é diferente, contudo estamos nessa situação porque todos juntos colocamos o Santa aí. Tudo que vier de bom, de fora, vamos acatar e o que não ajudar, deixamos de fora", garantiu.

Ex-atleta do Figueirense, próximo adversário, Ricardo quer usar o momento do alvinegro, que também é ruim, em favor do Santa. Segundo ele, a pressão por resultados é grande nos dois clubes, mas é o Figueira quem vai sofrer maior pressão por atuar diante dos seus torcedores.

"Vai ser um jogo muito difícil, porém temos muitas coisas para aproveitar lá. É um clube que sempre briga para estar na Série A, de torcida, de pressão. Eles devem estar sendo bem cobrados, conheço bem a torcida que deve cobrar, e podemos tirar isso de positivo para nós. Temos nossa própria pressão, mas é fora de casa e atrapalha mais o Figueirense", contou.

LeiaJá também

---> Técnico aponta falta de confiança no Santa e cobra arbitragem 

---> Caça-Rato relembra resenhas de bastidores e fala sobre o futuro

COMENTÁRIOS dos leitores