África do Sul aceita repetir jogo das Eliminatórias

Vitória diante do Senegal foi anulada por suspeita de manipulação da arbitragem

ter, 12/09/2017 - 10:38

A Associação Sul-Africana de Futebol (Safa, na sigla em inglês) anunciou nesta terça-feira (12) que não apelará contra a decisão da Fifa de anular uma vitória da sua seleção nas Eliminatórias Africanas para a Copa do Mundo de 2018 e ordenar a repetição da partida por causa da sua manipulação pelo árbitro ganês Joseph Lamptey. A Safa afirmou que não recorrerá da decisão que anulou o triunfo da África do Sul por 2 a 1 sobre Senegal, em novembro de 2016, mas afirmou que o "direito para processar por danos permanece aberto."

Isso levanta a possibilidade de a Safa poder obter uma compensação da Fifa, a quem a entidade sul-africana acredita que deve assumir a responsabilidade pelo juiz, que foi nomeado pelo comitê de arbitragem da entidade internacional, apesar de algumas performances suspeitas anteriores de Lamptey. "Por que a Fifa não fez uma verificação da integridade do árbitro se eles têm esses mecanismos?", afirmou o assessor jurídico sênior da Safa, Norman Arendse.

A decisão de anular o confronto entre África do Sul e Senegal e ordenar a sua repetição é a primeira da Fifa por causa de manipulação. Além disso, em decisão posteriormente confirmada pela Corte Arbitral do Esporte, a entidade baniu Lamptey por toda a vida após marcar um pênalti inexistente para a seleção sul-africana sob a alegação de toque de mão de um defensor da seleção senegalesa, algo que não aconteceu - os sul-africanos converteram o pênalti. A avaliação da Fifa é de que Lamptey estava agindo sob ordens de um grupo de apostadores e de que nenhuma equipe teve envolvimento com o caso.

Lamptey já estava sob suspeita e chegou a ser suspenso pela Confederação Africana de Futebol por validar um gol decisivo em um lance claro de mão em uma partida pelas semifinais da Liga dos Campeões da África em 2010. O fato de a Fifa ter escalado um árbitro que já esteve sob suspeita é motivo de queixa da África do Sul, que reclama por não ter sido convidada a acompanhar o processo contra o juiz. "A Safa decidiu por razões éticas e morais que, se essa partida foi manipulada, devemos repeti-la", disse a federação sul-africana.

A anulação complicou de vez a situação da África do Sul, que agora está com apenas um ponto no Grupo D das Eliminatórias e melhorou a de Senegal, que soma cinco. As duas equipes estão atrás de Burkina Faso e Cabo Verde, ambas com seis. Faltam duas rodadas para o fim do classificatório, além da repetição do confronto anulado, sendo que só o primeiro colocado se garante na Copa do Mundo de 2018.

COMENTÁRIOS dos leitores