Presidente do Paysandu renuncia após ser ameaçado com arma

Sérgio Serra relatou que ele e sua família foram ameaçados por dois homens armados em Belém

por Geraldo de Fraga qui, 06/07/2017 - 17:01
Site oficial Sérgio Serra e sua família foram ameaçados por dois homens armados Site oficial

Sérgio Serra não é mais presidente do Paysandu. A decisão foi anunciada na manhã desta quinta-feira (6). O motivo, segundo o ex-dirigente, foi uma ameaça a mão armada sofrida por ele e pela sua família, no último domingo, em Belém. Serra relatou, em seu pedido de afastamento, que ele, sua esposa e o filho mais velho, de 14 anos, foram ameaçados por dois homens que se aproximaram do carro em uma moto e chegaram a encostar um revólver no rosto do ex-mandatário bicolor.

A jornalista Cristina Serra, irmão de Sérgio, postou detalhes do ocorrido em seu perfil do Facebook. De acordo com ela, os agressores, que estavam com os rostos cobertos, fizeram ameaças de morte. "Eu já sei onde tu moras. Se o Paysandu descer pra série C, eu acabo contigo, com a tua mulher e com esse teu filho maluco", escreveu a jornalista sobre o que disse um dos homens. "Abaladíssimo, meu irmão tomou a única decisão possível numa situação como essa, a renúncia. Como muitas outras coisas no Brasil, o futebol (com poucas exceções), pra mim, há tempos virou coisa de bandido", desabafou no decorrer da postagem.

Sérgio Serra assumiu a presidência do Paysandu este ano. No seu mandato, o clube foi campeão paraense e vice da Copa Verde. Na Série B deste ano, o Papão ocupa a 16ª colocação e vive um jejum de oito jogos sem vitórias. Tony Couceiro, vice-presidente de operações, assumirá o cargo. Em nota, o Conselho Deliberativo do clube lamentou o ocorrido. "Somos solidários a Sérgio Serra, e temos certeza de que não são agressões a seus dirigentes que vão impedir que o Paysandu continue sendo o maior clube da Amazônia", disse a publicação.

COMENTÁRIOS dos leitores