Nacional Ceará Paraíba Pará Pernambuco São Paulo

Craque do futsal, Falcão prepara despedida da seleção

Além de uma pré-despedida diante da Colômbia, no dia 26 deste mês, jogador quer disputar o último jogo pelo Brasil em setembro deste ano

por Nathan Santos sab, 18/03/2017 - 13:33
Chico Peixoto/LeiaJáImagens/Arquivo Falcão esteve no Recife neste sábado (18) Chico Peixoto/LeiaJáImagens/Arquivo

Dono de títulos nacionais, internacionais e quatro vezes escolhido como melhor jogador de futsal do mundo, Alessandro Rosa Vieira, o Falcão, esteve no Recife na manhã deste sábado (18). O craque das quadras, que durante 20 anos alegrou o público que aprecia a seleção brasileira, está próximo de encerrar sua passagem pelo time canarinho, porém, deve continuar atuando em clubes durante jogos amistosos e oficiais. Em entrevista exclusiva ao LeiaJá, o atleta revelou detalhes de como pretende concretizar sua passagem pela seleção nacional.

Falcão joga atualmente pelo Magnus Futsal, de São Paulo, além de participar de eventos esportivos. Durante ação de marketing da empresa patrocinadora da equipe, ele visitou comerciantes do Mercado da Encruzilhada, Zona Norte da capital pernambucana, mas não deixou de falar do esporte que engradeceu sua carreira profissional. No dia 26 deste mês, uma partida entre Brasil e Colômbia marcará a pré-despedida de Falcão, e ainda em 2017, deve ocorrer de fato seu adeus à seleção.

“A despedida deve ser no segundo semestre, provavelmente no dia 24 de setembro”, explicou o jogador. Ele ainda revelou que o evento pode ser realizado em um estádio, mas ainda não detalhes do local. 

Questionado sobre o atual cenário do futsal brasileiro, Falcão opinou que o esporte vive um bom momento, mas reconheceu que as equipes do Norte e Nordeste ainda estão longe de uma situação favorável. Em 2016, nenhum time dessas regiões participou da competição.

“Hoje, os esportes de quadra dependem de empresas, de patrocinadores. O futsal vem num momento especial, temos uma liga nacional com quase 20 equipes, e os campeonatos estaduais são um sucesso. Mas claro que o Norte e Nordeste, pela distância, acabam se complicando bastante para disputar”, opinou Falcão, reforçando que a falta de investidores atrapalha o desenvolvimento de times nordestinos e do Norte.

A história de Falcão começou no futsal em 1991, em um clube da Zona Norte de São Paulo. Pela sua habilidade e desenvoltura em quadra, logo chamou a atenção de outras equipes. Por 20 anos, honrou a camisa da seleção brasileira e colecionou títulos como copas do mundo e a medalha de ouro nos Jogos Pan-Americamos no Rio. Aos 39 anos, promete atuar como gestor esportivo no futsal, além de participar de jogos demonstrativos dentro e fora do Brasil. 

COMENTÁRIOS dos leitores