Maior ídolo da história do Papão completa 81 anos

Paulo Benedito dos Santos Braga, mais conhecido como Quarentinha, fez aniversário no dia 18. Ex-jogador atuou no Paysandu em 18 temporadas e é considerado o melhor atleta do clube em todos os tempos.

sex, 20/11/2015 - 09:53
Divulgação Quarentinha (ao centro) com outros veteranos do Papão Divulgação

A quarta-feira (18) foi motivo de comemoração para o Paysandu. O craque Quarentinha completou 81 anos de idade. O meia franzino, de apenas 1,58 m e 50 kg, iniciou a carreira no Remo, treinou por apenas um mês, não recebeu oportunidades e decidiu sair da equipe azulina. Frustrado, caminhava nas proximidades da Curuzu quando foi encontrado pelo massagista do Carnaval, do Paysandu, que o convidou para treinar no time bicolor. O meia estreou no profissional do Papão no dia 29 de junho de 1955, em uma vitória por 3 a 0 sobre a Tuna. No ano seguinte, conquistou o primeiro título da carreira, o Campeonato Paraense da temporada – após nove temporadas de jejum.

Com mais de 750 partidas disputadas pela equipe bicolor – o jogador que mais atuou com a camisa do Paysandu na história -, Quarentinha esteve presente na inesquecível vitória do Papão sobre o Peñarol (URU). Na época, o time uruguaio era considerado um dos melhores do mundo, mas foi derrotado por 3 a 0 na Curuzu.

Outra partida famosa na carreira do meia foi o famoso jogo do “vira vira”, em que o Paysandu faturou o Parazão de 1971. O Remo vencia a grande decisão por 2 a 0, com dois gols do centroavante Alcino. Nos últimos dez minutos do jogo, os bicolores empataram e, na prorrogação, viraram a partida com um gol do atacante Moreira.

Com 135 aparições no clássico Re x Pa, Quarentinha é o atleta que mais atuou no clássico mais disputado do mundo. A despedida do meia ocorreu no dia 8 de abril de 1973, em partida amistosa contra a Tuna.

Ao todo, Quarentinha atuou como jogador do Paysandu durante 18 temporadas, de 1955 a 1973. Faturou 12 títulos como profissional, outros como aspirante e em torneios amistosos. Em eleição realizada no início da década passada por diversos jornalistas paraenses, foi eleito o craque do futebol paraense no século XX. Em 2010, em votação feita por dirigentes, torcedores, cronistas esportivos, entre outros, foi eleito o melhor jogador da história do Paysandu.

No ano passado, o clube resolveu fazer uma justa homenagem ao craque. Idealizada por Alacy Rodrigues, uma estátua de 2,30 m de altura foi feita para Quarentinha na comemoração de aniversário de 80 anos do ex-jogador. 

Por Mateus Miranda.

COMENTÁRIOS dos leitores