Náutico vence e finda tabu de dez anos sem vitória na Ilha

Com gol de Zé Mário, Timbu venceu o Leão por 1x0

por Clauber Santana qui, 23/01/2014 - 23:20

Um conhecido clichê no futebol diz que tabu foi feito para ser quebrado. E, na noite desta quinta-feira, na Ilha do Retiro, um tabu de quase uma década terminou. Com uma boa atuação, o Náutico, após dez anos, venceu o Sport por 1x0 com gol de Zé Mário, aos 39 minutos do primeiro tempo. Mesmo em casa, o Leão foi mal e mesmo pressionando nos minutos finais, não conseguiu o empate.



Com o resultado o Timbu é o segundo colocado no Grupo D da Copa do Nordeste com quatro pontos. Já o Leão tem apenas um e é o quarto. Na próxima rodada os alvirrubros enfrentarão o Botafogo-PB, no Almeidão, domingo, às 16h. No mesmo dia, mas às 18h30, o Sport recebe o Guarany de Sobral. 



Melhor em campo, Timbu sai na frente

Com quatro mudanças, o Náutico foi uma equipe totalmente diferente da estreia. Começou melhor o clássico, com uma marcação encaixada e boa troca de passes. O atacante Marinho, caindo pela direita, infernizou a defensiva rubro-negra e antes dos dez minutos sofreu duas faltas perigosas. E em uma delas, Aílton foi punido com o cartão amarelo. Mas, apesar do domínio inicial, o Timbu quase não finalizou à meta de Magrão.



O Sport demorou a acordar no duelo, principalmente pelo fraco desempenho de Ailton e Rithely no meio-campo, errando vários passes. Apenas após os 20 minutos é que o Leão começou a chegar com perigo, se aproveitando do cansaço alvirrubro. Ferron teve uma oportunidade de cabeça e Neto Baiano, sempre procurando jogo, arriscou fraco de fora da área.



Quando o cansaço fez o nível técnico da partida cair, surgiu o gol e foi para o Náutico. Aos 39 minutos, João Ananias fez grande jogada pela direita e passou para Zé Mário. O camisa dez do Timbu invadiu a área e arrematou na saída de Magrão para abrir o placar na Ilha do Retiro.



Inteligentemente, Náutico segura o placar

Na volta do intervalo, Geninho tirou Rithely, que não foi bem, e promoveu a estreia de Ananias para melhorar o setor de criação da equipe. O Náutico foi o mesmo da etapa inicial, mas a postura mudou. De forma inteligente, os alvirrubros marcavam atrás da linha central e valorizavam a posse de bola, sem pressa e esperando o melhor momento para atacar. Este momento apareceu aos onze minutos em jogada pelo lado esquerdo de Yuri que cruzou para área e Hugo, livre, mandou para longe.



O panorama da partida seguiu o mesmo durante parte do segundo tempo. O Leão procurando espaço para atacar e o Timbu se defendendo. Quando encontrou, Patric, embaixo da trave, desperdiçou uma grande oportunidade. Logo depois foi que Neto Baiano que perdeu uma chance inacreditável. O atacante recebeu pequena na área, na frente de Gideão e isolou para desespero dos rubro-negros.



O tempo de jogo ia diminuindo e a tensão, proporcionalmente, ia aumentando. A pressão dos donos da casa foi grande. Lisca reforçou o setor defensivo com Gustavo Henrique, enquanto Geninho o ofensivo com Everton Felipe. Entretanto, nada adiantou. E o tabu de dez anos foi quebrado para alegria dos alvirrubros na Ilha do Retiro e do técnico Lisca, que teve seu nome cantado pela torcida.



Ficha de jogo



Sport 0

Magrão; Patric, Oswaldo, Ferron e Marcelo Cordeiro (Igor Fernandes); Rodrigo Mancha, Naldinho (Everton Felipe), Rithely (Ananias) e Aílton; Felipe Azevedo e Neto Baiano. Técnico: Geninho



Náutico 1

Gideão; João Ananias, William Alves, Flávio e Gerley; Possebon (Pedro Carmona), Elicarlos, Zé Mario (Gustavo Henrique), Yuri; Marinho (Túlio) e Hugo. Técnico: Lisca



Local: Ilha do Retiro (Recife)

Árbitro: Gilberto Castro Júnior (PE)

Assistentes:  Bruno César Santos de Alcantara e Ricardo Bezerra Chianca (ambos de PE) 

Gol: Zé Mário (aos 39 do 1ºT)

Cartões amarelos: Aílton (Sport); Rodrigo Possebon e Marinho (Náutico)

Público: 16.001  Renda: R$ 273.180

COMENTÁRIOS dos leitores