82% dos frequentadores de museus são das classes A e B

Maioria dos frequentadores de instituições museológicas são integrantes de famílias com rendimento mensal acima de R$ 9.980

por Nataly Simões ter, 04/06/2019 - 14:42
Divulgação / Governo do Estado de São Paulo 58% dos brasileiros consideram que os museus ainda são locais elitizados Divulgação / Governo do Estado de São Paulo

No Brasil, 82% dos frequentadores de museus são das classes A e B, ou seja, integrantes de famílias com renda acima de R$ 9.980 por mês. É o que mostra uma pesquisa do instituto Oi Futuro, da empresa de telecomunicações do mesmo nome, e da consultoria Consumoteca, que ouviu 600 pessoas de todas as regiões do país.

A maioria dos brasileiros que não frequentam museus pertence à classe C (53%), isso significa que são pessoas de famílias em que o rendimento médio mensal está entre R$ 4.990 e R$ 9.980.

Metade das pessoas ouvidas na pesquisa afirmou frequentar museus pelo menos uma vez por ano. A outra metade os visita a cada dois anos. E entre os que os frequentadores mais gostam de ver nos museus, 52% responderam artefatos antigos, esqueletos e ossadas. Quadros e pinturas vêm em segundo lugar (46%), esculturas (28%), instalações artísticas (23%), fotografia (17%), videoarte (10%) e performances ao vivo (8%).

Com base nas respostas obtidas, os pesquisadores identificaram que o perfil de quem visita instituições museológicas mais de uma vez ao ano é composto por pessoas que se sentem envolvidas pelas histórias contadas por meio das exposições, além desse grupo se manter informado das recorrentes mudanças de programação dos espaços culturais.

Enquanto os não frequentadores, na maioria das vezes, não têm conhecimento de que além de acervos permanentes, os museus abrigam exposições temporárias ou mostras temáticas que dinamizam a programação. Os não frequentadores também tendem a considerar os equipamentos monótonos, o que na visão dos coordenadores da pesquisa pode ser explicado, em parte, pelo fato de que a maioria da população brasileira tem o primeiro contato com museus ao participar de visitas escolares.

A pesquisa também mostra que 58% dos brasileiros consideram que as instituições museológicas ainda são locais elitizados e pouco visitados e, entre os frequentadores, 57% consideram que o preço acessível é uma motivação na hora de escolher o que fazer em momentos de lazer. Desses, 77% preferem passar parte do tempo livre no cinema, 64% em restaurantes e 63% em parques. Os museus são a preferência de 49% dos que afirmam visitá-los regularmente.

Já 61% dos não frequentadores preferem sair para a casa de amigos, shopping (48%) e cinema (47%). Para eles, o fato de um lugar ser apropriado para se fazer um programa com toda a família é fundamental na hora de escolher uma atividade de lazer.

COMENTÁRIOS dos leitores