Cine Pipoca provoca debate sobre a condição feminina

Exibição do filme "Mulher Maravilha" na UNAMA - Universidade da Amazônia abre espaço para a discussão de temas contemporâneos

qua, 24/10/2018 - 08:13

O Núcleo de Responsabilidade da UNAMA - Universidade da Amazônia realizou na quarta-feira (17), no auditório David Mufarrej, campus Alcindo Cacela, em Belém, o Cine Pipoca, que nesse semestre falou das histórias em quadrinhos. Nessa sessão o filme escolhido foi “Mulher Maravilha” e foram discutidos temas como o cotidiano e a representatividade da mulher na sociedade.

O projeto existe há anos com a proposta de aproximar alunos da educação básica de temáticas contemporâneas. “Queremos falar especificamente do universo das HQs, super-heróis, tentando fazer um gancho com a sociedade contemporânea e questões relacionadas ao nosso cotidiano”, disse Luiz Barbosa, do Núcleo de Responsabilidade da UNAMA.

Luciana Batista, professora do curso de História da UNAMA, afirma que a representatividade trazida pela personagem ajuda a igualar a importância e a capacidade que a mulher possui, em relação ao homem. “Ali você vê uma parceria muito grande, entre ambos os sexos, pra construção da realidade desejada e isso é muito importante. Até hoje vivemos em uma sociedade machista, mulheres ganhando menos que homens desempenhando cargos iguais, sendo vítimas de violência doméstica e obrigadas a passar na rua ouvindo cantadas grosseiras. A ideia que o filme traz, de colocar o homem e a mulher numa posição em que ambos tenham a mesma importância para a sociedade, é fundamental.”

Para Carlos Sousa, professor de História da Escola Estadual Barão do Rio Branco, o país passa por uma situação muito complicada e fazer uma reflexão através de uma obra fictícia para a melhor assimilação dos alunos é de extrema importância para que assuntos ligados à realidade social sejam compreendidos. “Isso é muito importante principalmente para o contexto político que estamos vivendo. Nós estamos passando por um diálogo, talvez uma luta da nossa sociedade, em que polos diferentes estão querendo impor ideologias e um dos extremos ataca muito às minorias”, reiterou o professor.

Mike Pereira conta que o projeto adota uma ação que promove o bem-estar da sociedade. “O objetivo principal é a responsabilidade social de trazer esses temas pro público jovem, esse assunto que muitas vezes passa despercebido, mas ele entra em preconceito e na realidade vivida pelos jovens nas ruas”, finaliza um dos colaboradores do projeto.

Por Allam William.

 

 

COMENTÁRIOS dos leitores