Principal companhia de ópera dos EUA faz greve

Paralisação começou na terça-feira depois que as conversas se romperam entre os dois lados

qua, 10/10/2018 - 19:20
TASOS KATOPODIS Ópera Lírica de Chicago assegura que a venda de ingressos e assinaturas diminuiu em todo o país TASOS KATOPODIS

Uma das companhias de ópera líder dos Estados Unidos cancelou duas apresentações programadas para esta semana depois que a sua orquestra se declarou em greve diante das propostas que buscam reduzir custos.

Nesta quarta-feira (10), os músicos ocuparam uma linha de piquete do lado de fora da Ópera Lírica de Chicago contra os planos de gestão de reduzir o tamanho da orquestra e o número total de apresentações.

A greve começou na terça-feira depois que as conversas se romperam entre os dois lados.

A empresa diz que a venda de ingressos e assinaturas diminuiu em "uma tendência que as companhias de ópera estão experimentando em todo o país".

Contudo, os membros da orquestra sustentam que a companhia está deixando de lado as apresentações de ópera em favor do teatro musical e outras iniciativas.

"A única coisa que pedimos é manter o que temos", declarou a violinista Kathleen Brauer à AFP.

"Qualquer coisa menos do que isso não é digna desta instituição de classe mundial".

A companhia de 65 anos cancelou apresentações de La Boheme de Puccini e Idomeneo de Mozart, programadas para esta semana.

Nos últimos 10 anos, a companhia reduziu a sua cifra anual de espetáculos de ópera de 86 para 56 "porque esse é o número máximo respaldado pela demanda da audiência", disse em comunicado.

A companhia pediu aos músicos uma redução no número de semanas que têm garantido o pagamento e uma redução de cinco pessoas na lista de tempo completo da orquestra.

A companhia disse que chegou a concessões com os seus sindicatos de corais e técnicos em novos acordos contratuais.

COMENTÁRIOS dos leitores