Jean Paul Gaultier celebra a liberdade de decidir

Inspirado em animais como a zebra, o orangotango e o rinoceronte branco, o estilista apresentou uma série de vestidos com influência do século XIX

qui, 05/07/2018 - 07:08
Alain JOCARD O estilista francês Jean-Paul Gaultier prepara uma modelo para o desfile de sua coleção outono/inverno 2018-2019 em 4 de julho de 2018 em Paris Alain JOCARD

Fumar faz mal à saúde? Só os homens podem usar o torso nu? O estilista veterano Jean Paul Gaultier demostrou que seu inconformismo continua intacto em seu desfile de alta-costura, nesta quarta-feira (4), em Paris.

Enquanto as autoridades sanitárias de todo o mundo lutam com todas as armas contra o cigarro e seus efeitos nocivos, é exatamente ele que serviu de inspiração em um pendente, uma pulseira e um colar no desfile do estilista, adepto da transgressão.

Na cortina branca de onde saíam os modelos, foram projetadas imagens de espirais de fumaça em uma passarela mista aberta com a canção "Cigarette", de Jacques Higelin.

Os modelos desfilaram com cachimbos e cigarros eletrônicos, mas também foram representados os que lutam contra o fumo, como a frase "No smoking" (não fumar) em um suéter de pele e em uma máscara.

O jogo de palavras é evidente, já que o elemento central dessa coleção em preto e brando é o smoking.

A mensagem também parece clara, "a liberdade que deveríamos poder ter de fumar ou não", disse o estilista em entrevista à AFP. "Vivemos em um mundo muito politicamente correto", acrescentou.

- 'Mamilos livres' -

A liberdade é expressa também na mensagem "mamilos livres", inscrita em corpetes de plástico transparente, usados por modelos homens e mulheres.

"Os homens têm direito a mostrar seu tórax nu, por que não as mulheres?", disse o estilista francês.

Gaultier fez alusão ao "escandaloso" incidente em que uma jovem foi obrigada, em abril, pela direção de seu colégio na Flórida, a colocar adesivos em seus mamilos, já que não usava sutiã.

- Viktor & Rolf: a cama móvel -

A dupla holandesa Viktor & Rolf apresentou no último dia de desfiles da Semana de Alta-Costura uma coleção exclusivamente em branco, concentrada na modelagem, de imaginação transbordante.

Uma das modelos lembrava uma cama móvel usando um casaco acolchoado extragrande que se parece com um edredon, com duas almofadas atrás da cabeça.

Outra usava uma jaqueta branca decorada com dezenas de laços brilhantes em tom de cinza.

O plissado na lapela de uma jaqueta é rígido, formando uma espécie de leque. Um vestido de noite branco tem três grandes buracos, como se fosse mordido por uma boca gigante.

- Franck Sorbier: século XIX -

"Ajuda!", batizou o francês Franck Sorbier sua nova coleção, aberta com duas crianças que agitavam duas placas em que se lia "Chega de prejudicar meu planeta" e "Chega de prejudicar os animais".

Inspirado em animais como a zebra, o orangotango e o rinoceronte branco, o estilista apresentou uma série de vestidos com influência do século XIX, desfilados por bailarinas no ritmo de uma música oriental apresentada ao vivo.

COMENTÁRIOS dos leitores