Quadrinhos empolgam visitantes da Feira do Livro

Estandes focados nas culturas nerd e geek fazem sucesso no Hangar Centro de Convenções, em Belém

qui, 07/06/2018 - 09:39

“Alan Moore é o melhor escritor de quadrinhos. Ele é um gênio criativo, tanto no que diz respeito aos roteiros quanto à arte”, comentou Edison de Sousa, expositor do estande Taverna do Rei, na XXII Feira Pan-Amazônica do Livro. O evento está no Hangar- Centro de Convenções da Amazônia.

O estande Taverna do Rei é focado nas culturas nerd e geek e na literatura universal. Mas o que está tendo maior saída são os quadrinhos para o público nerd e geek. Para Edison, o que chamou mais atenção foi a idade do público: cerca de 30% dos consumidores têm mais de 30 anos.

“Eu amo. É meu passatempo. Sou fã de animes e manga, eles são os que mais me chamam atenção e os preços dos mangás estão bons”, disse a leitora Natália Seabra, que organizou sua semana para não perder a feira.

 A Taverna do Rei ainda traz os quadrinhos mainstream, que são os convencionais, como Pantera Negra, Guardiões da Galáxia e Doutor Estranho, que eram personagens secundários e agora ganharam espaço. A loja também oferece os quadrinhos alternativos como o “Maus”, que ganhou o prêmio Pulitzer.

Edison acrescentou que eles investiram nos alternativos como Hellboy, que conta a história de um garoto que foi criado a partir de um ritual de magia negra, quando os nazistas tentavam vencer a guerra. E esses quadrinhos não são encontrados com facilidade nas bancas. “É interessante deixar o público daqui abastecido com o alternativo que às vezes é mais legal que o do mainstream.”

 Estão na Feira do Livro cerca de 200 estandes, que têm literatura em geral, universitária, internacional e infantil. Além disso, a feira também traz várias programações ao longo dos seus 10 dias. A Colômbia e o escritor Age de Carvalho são os homenageados nesta edição da feira.

 A feira também oferece encontros literários com escritores paraenses de segunda a sexta-feira, a partir das 17 horas. Para Andressa Fonseca, coordenadora, esses encontros são importantes. "Sempre reunimos escritores locais da região, do Baixo Amazonas, de Carajás, de Tucuruí, regiões do Estado todo para valorizarmos a literatura local.”

Por Bruna Oliveira.

COMENTÁRIOS dos leitores