“The House That Jack Built” provoca debandada em Cannes

Novo filme do diretor Lars von Trier (Dogville)provocou críticas e saída de espectadores durante a exibição pelo excesso de violência explícita

por Aquiles Marchel Argolo ter, 15/05/2018 - 16:07

O novo filme do diretor Lars Von Trier, “The House That Jack Built”, provocou a saída de muitos espectadores em sua exibição no Festival de Cannes. O filme do diretor dinamarquês é uma mistura de horror com humor mórbido.

O diretor disse, antes do filme ser exibido, que uma equipe médica poderia ficar de plantão para atender o público sensível a sangue e violência explícita.

Nos primeiros 25 minutos de filme, após os primeiros atos violentos do protagonista (Matt Dillon), uma parte do público convidado começou a ir embora. Os organizadores estimam que ao menos cem pessoas deixaram de assistir à exibição do longa no festival francês.

As reclamações da imprensa com relação ao filme focaram no viés misógino do personagem principal e a forma como o cineasta representa as mulheres, considerada desrespeitosa na opinião de parte dos críticos (a mulher é vista como presa na visão do assassino).

As acusações de sexismo fizeram aumentar o debate sobre o filme de Lars Von Trier.

Algumas pessoas que estavam presentes e não acompanharam até o final publicaram os motivos do “boicote” ao filme. "Abandonei a sessão de Lars von Trier. Filme perverso. Não deveria ter sido feito. Os atores também são culpados”, publicou o em seu Twiter a Showbiz 411. Opinião parecida com a da crítica Charlie Angela: "Abandonei a sessão porque ver uma criança levar um tiro e ser assassinada não é arte ou entretenimento.”

 

“The House That Jack Built” conta a história de Jack, um psicopata com TOC por limpeza. O filme acompanhará 12 anos da vida do assassino e os assassinatos que definiram sua personalidade como serial killer.

Além de assumir a direção, von Trier também escreveu o roteiro do longa, que tem ainda no elenco Uma Thurman, Riley Keough eEd Speleers.

 

COMENTÁRIOS dos leitores