Tatá Werneck: "Mulher que fala palavrão é sempre julgada"

A atriz, humorista e apresentadora compareceu no Altas Horas, programa de Serginho Groisman, no último sábado (10)

dom, 11/03/2018 - 15:04
Reprodução Tatá contou suas peripécias de menina Reprodução

Tatá Werneck fez a gente pensar enquanto nos fazia rir. A atriz, humorista e apresentadora compareceu no Altas Horas, programa de Serginho Groisman, no último sábado (10). Ela contou sobre algumas críticas que recebeu por falar palavrão, além da história que culminou na sua expulsão da escola quando ainda era criança.

"Eu sempre fui muito criticada desde nova por ser uma mulher falando palavrão. Um homem poderia falar palavrão, é muito engraçado quando numa roda falam palavrão, ele conta uma história, ele faz um cuecão, ele faz qualquer coisa... E uma mulher fazendo isso é sempre julgada".

No entanto, arrancando risos da plateia por causa de seu jeito de ser, Tatá concluiu seu pensamento pontuando algumas questões sobre a vez em que o frei de seu colégio decidiu por não tê-la mais como aluna da instituição. "Tinham várias coisas que eu não concordava e como militante eu fui expulsar o frei da escola porque achei justo. Eu falei, Olha, tem um abaixo-assinado e você está fora. Foi uma decisão nossa. Eu sou representante de turma e tenho um poder. Eu era bagunceira, mas algumas bandeiras que faziam sentido eu levantava".

"[O frei falou] Se eu tivesse que pintar um rosto de um anjo, eu pintaria o da sua filha, mas ela é o demônio e vamos expulsá-la da escola. Meu pai questionou: vocês estão expulsando minha filha por quê? Os outros nove alunos (do abaixo assinado) vão ser expulsos? E o frei disse que não. Porque eu era a única mulher a fazer bagunça dessa maneira".

Werneck ainda garantiu que ela nunca foi diferente do que ela é, mas que o padrão da sociedade está mudando, causando diferenças na forma de olhar para determinados temas. "As mesmas razões pelas quais um Frei me expulsou de uma escola porque eu não me adequava aos padrões femininos que ela implementava e considerava, me fizeram ser enaltecida por uma revista como mulher do ano. Aí falaram: Caramba, o cara te expulsou e olha o que você se tornou. Eu falei: Nada, eu me tornei o que eu sempre fui".

Cléo Pires também estava no programa e, em meio às confissões de Tatá, brincou. "Minha presidenta", referindo-se à humorista.

COMENTÁRIOS dos leitores