Belém receberá acervo literário de Dalcídio Jurandir

Projeto garante a transferência do material que está no Rio de Janeiro para o "Memorial do Livro Moronguêtá", gerido pelo Fórum Landi

seg, 05/03/2018 - 18:24
Divulgação/Internet Livros de Dalcídio Jurandir reeditados: acervo do autor será enviado do Rio para Belém Divulgação/Internet

Belém receberá o acervo literário, jornalístico e pessoal do escritor paraense Dalcídio Jurandir. Esse patrimônio cultural ficará sob reponsabilidade do “Memorial do Livro Moronguêtá”, projeto da Universidade Federal do Pará (UFPA) coordenado pelo arquiteto Flavio Nassar, do Fórum Landi, e contará com a supervisão do professor Paulo Nunes, da Universidade da Amazônia (Unama).

Doutor em Letras, Paulo Nunes é professor do Programa de Pós-Graduação em Comunicação, Linguagens e Cultura da Unama, além de pesquisador da obra e da pessoa de Dalcídio Jurandir. Ele foi convidado para ser consultor técnico responsável pelo acervo de Dalcídio em Belém. “Hoje (sexta-feira, diz 2 de março) foi um dia histórico e emocionante para os pesquisadores da literatura paraense, da história e da comunicação paraense. Belém ganha com a vinda deste acervo para a nossa cidade”, afirmou o professor.

Além de consultor técnico da obra de Dalcídio Jurandir, Paulo Nunes é coordenador do Grupo de Pesquisa “Academia do Peixe Frito”, que tem Dalcídio como parte do objeto de estudo em andamento desde 2016. O grupo reúne pesquisadores da graduação, do mestrado e doutorado da Unama.

A obra de Dalcídio Jurandir sempre esteve com os familiares, na cidade do Rio de Janeiro. Agora, Belém está prestes a receber todo o material intelectual do escritor. O acervo doado pela família será separado, acondicionado, transportado e disponibilizado à sociedade paraense por meio de ações e projetos acadêmicos que englobam as principais universidade paraenses, como a Universidade da Amazônia (Unama), Universidade Federal do Pará (UFPA) e Universidade Estadual do Pará (Uepa).

O deputado federal Edmilson Rodrigues (Psol-PA) foi autor da emenda parlamentar que permitiu o andamento do projeto. “É com felicidade que nosso mandato colaborou para que o material intelectual de Dalcídio Jurandir pudesse voltar para a nossa cidade”, declarou o deputado.

Dalcídio Jurandir é autor de “Chove Nos Campos de Cachoeira”, romance premiado de 1945. Escreveu também o romance intitulado “Marajó”, além de ter trabalhado em vários veículos de comunicação. Foi repórter do jornal a “Imprensa Popular”, em 1950, e militante do Partido Comunista Brasileiro (PCB).

 

Por Alcione Nascimento, especialmente para o LeiaJá Pará.

COMENTÁRIOS dos leitores