Editais impulsionam produção audiovisual no Norte

Animação “As Icamiabas na Cidade Amazônia” e stop motion "Adão" abrem mercado e estimulam a criatividade e a inovação

sex, 13/10/2017 - 10:10

A região Norte do Brasil vive um bom momento em suas produções audiovisuais. Filmes, séries e animações estão sendo produzidos a todo vapor. Esse é o caso da recente série de animação “As Icamiabas na Cidade Amazônia”, que está em fase de finalização e conta a história de quatro guerreiras indígenas. Assim como do stop motion “Adão”, que faz uma releitura da famosa história bíblica de “Adão e Eva”. As animações foram criadas e produzidas por equipes de profissionais do Norte.

O stop motion é uma técnica de animação que utiliza uma sequência de fotografias diferentes de um objeto para que ele simule um movimento.c Foi assim que o filme “Adão” foi produzido, e com um dos matérias mais tradicionais da região norte para estruturar cenários e personagens: o miriti. “O Adão é um projeto de 2015, que foi contemplado no edital de pesquisa e experimentação da Fundação Cultural do Pará. Foi um projeto escrito pra esse edital, então ele tinha que ter um apelo regional. Pensamos na ideia do miriti como elemento fundamental na construção dos personagens e cenário para que o projeto fosse contemplado”, conta a diretora e idealizadora do projeto, Rafaella Cândido.

Rafaella diz que o objetivo da animação é contar a história através de outro olhar, retirando a questão de que a mulher é a culpada pela corrupção do homem. “Uma das histórias mais conhecidas do mundo sendo contada de outra forma. Por que a serpente, que era um elemento corruptor, não pode estar associada ao homem e daí tirar um pouco a questão machista da história?”, explica.

O processo de criação e finalização do stop motion, que possui cerca de 6 minutos, durou dois anos. “Tinha dias que a gente fazia quatro segundos de filmes e ficava 15 horas no set, era toda uma dificuldade de usar o miriti, como um material que fosse um pouco mais resistente, porque o miriti em si é frágil e leve, o que dificultava na hora de utilizar o boneco”, releva a diretora.

Rafaella afirma que o filme foi a primeira experiência com stop motion, mas que a história necessitava dos elementos fantásticos e imaginários que a animação proporciona. “Eu precisava de algo que me desse a possibilidade de um voo, ir além, e a animação me proporcionou isso, além do stop motion me dar essa textura e rusticidade, que é o gênesis em si, a origem de tudo, os elementos que compõem o filme. Tudo isso é essencial, como a madeira, o barro, argila e o miriti”, afirmou.

Animação - “As Icamiabas na Cidade Amazônia” é pelo Iluminurias - Estúdio de Animação, com direção de Otoniel Oliveira e criada por Andrei Miralha e Petrônio Medeiros. A série de animação possui cinco episódios e se passa na cidade da Amazônia. Conta a história de quatro guerreiras indígenas, que são estagiárias dos deuses e resolvem os problemas das cidades. As personagens foram inspiradas na lenda das icamiabas, guerreiras amazônicas que viviam em tribos sem homens na floresta.

“O principal foco do estúdio no momento é a serie 'As Icamiabas na Cidade Amazônia'. É uma serie de aventura com quatro mulheres protagonistas que são estagiarias dos deuses, combatem os vilões e seres fantásticos, resolvendo os problemas porque os deuses estão de saco cheio e não estão a fim de resolver”, conta o diretor da série, Otoniel Oliveira.

O diretor diz que a série está sendo desenvolvida inteiramente por profissionais da região, da criação ao processo de finalização. “Essa série inteira está sendo produzida toda por aqui, decidimos contratar uma equipe daqui do Norte”, explica Otoniel. “É ótimo oferecer uma oportunidade para as pessoas virem aqui e produzirem conteúdo de entretenimento para TV nacional, feita com uma mão de obra que vive essa realidade que vai ser passada na história”, completa.

A "Icamiabas" traz conceitos importantes para a cultura da região amazônica, trabalhando os protagonismos indígenas e femininos em produções audiovisuais. “Na nossa série trabalhamos dois conceitos muito importantes pro estúdio, o protagonismo indígena e o protagonismo feminino”, explica o diretor.

A série contemplada pelo “Edital Cultural Audiovisual”, da TV Cultura, vai ser exibida primeiramente na TV Cultura do Pará, a partir do dia 24 de novembro. “Estamos fazendo agora uma primeira temporada de 5 episódios, ela vai para a TV cultura e TV Brasil, mas o nosso grande objetivo é que essa serie seja viável para ser vendida pelo resto do mundo”, revela Otoniel. Veja vídeo abaixo.

Por Ariela Motizuki.

Embed:

COMENTÁRIOS dos leitores