Nacional Ceará Paraíba Pará Pernambuco São Paulo

Exposição retrata sonhos e lembranças de artista

Klayson Faal realiza mostra no Salão de Artes da Fiepa, em Belém, com pinturas que resgatam suas histórias de vida

seg, 20/03/2017 - 16:32

No Salão de Artes da Fiepa (Federação das Indústrias do Estado do Pará), em Belém, ocorre a exposição "Letras, Sonhos e Lembranças", de Klayson Faal, de segunda a sexta das 8 às 19 horas, dos dias 17 a 31 de março. A mostra de 23 pinturas conta histórias da vida do artista por meio das obras.

Quando criança, Klayson pintava com um pincel de cipó com ponta batida e tinta de urucum, presente de um amigo de seu pai, o índio Titi, que os visitava a cada 60 dias. O garoto pintava em pedaços de madeira principalmente as letras das placas de lojas e dos barcos que via no porto perto de sua casa. "De uma letra passei para uma figura, de uma figura passei pra uma paisagem, e de uma paisagem passei a construir algo que veio de mim mesmo", diz Klayson. Incentivado em casa, principalmente pela mãe, ele se iniciou no mundo da arte.

Além de colocar suas memória e sentimentos nos quadros, Klaysson busca preservar uma pedaço já apagado da cultura paraense: a tipografia que era utilizada nas placas e letreiros que tanto viu quando jovem. "Eu descobri por meio de pesquisas que essas letras eram gravadas em anéis de nobres europeus e nos nomes das caravelas. Com a nossa colonização, nós passamos a copiá-las, mas de uma forma mais própria. Elas ficaram mais coloridas, mais diversificadas." Ele diz que sua missão é homenagear, resgatar e imortalizar o estilo.

Klayson utiliza tinta óleo em suas telas e técnicas de espátula para criar os planos de fundo texturizados e pinceladas para desenhar os detalhes, criando um estilo de pintura só dele. As telas possuem temas variados, indo de memórias a pinturas abstratas. "Eu procurei recriar meus sonhos recorrentes e lembranças, e procurei construí-las da seguinte forma: que não fossem só minhas, mas que qualquer pessoa pudesse se identificar", diz o pintor. 

A exposição, patrocinada pela Fiepa e por Liliane Cutrim Eventos, tem entrada franca. A Fiepa fica na travessa Quintino Bocaiúva, próximo à avenida Nazaré.

Por Henrique Sá.

 

COMENTÁRIOS dos leitores