Lucy Alves fala sobre carreira e planos

Cantora paraibana, finalista do The Voice Brasil, quer continuar no Grupo Clã Brasil e conciliar com carreira solo

por Wênia Bandeira seg, 09/12/2013 - 13:59
Wênia Bandeira/LeiaJáImagens Lucy Alves é formada em música e toca desde quatro anos de idade Wênia Bandeira/LeiaJáImagens

JOÃO PESSOA (PB) - A cantora Lucy Alves, finalista do programa The Voice Brasil, ficou conhecida em todo o país por suas apresentações com a sanfona e acredita ser o instrumento o motivo principal de continuar na disputa. A paraibana esteve em João Pessoa no último sábado (7) e falou sobre o momento que vive, além de planejamentos para o futuro.

Lucy começou sua vida artística aos quatro anos de idade, tocando violino no Conservatório Musical da Universidade Federal da Paraíba (UFPB). Foi também na UFPB que ela se graduou em música, após participações em orquestras pelo Estado.

Desde 2002, ela está entre as integrantes do Clã Brasil, grupo de meninas que tocam o autentico forró pé de serra e que viaja o Brasil com shows. Até agora, foram oito CDs gravados pelas garotas, que devem continuar o trabalho, segundo Lucy.

“As pessoas sempre me perguntam sobre isso e eu respondo que tenho agora a minha carreira solo, que vem ganhando espaço, mas o Clã vai continuar. Eu vou fazer de tudo para que a gente concilie agendas e eu consiga tocar com a elas e também com o meu projeto solo”, afirmou.

Além da sanfona e do violino, a musicista também faz bonito quando toca piano, bandolim e cavaquinho. “A minha essência foi construída ao longo desses anos então minha música não é superficial”, declarou, se dizendo feliz em poder mostrar o que sabe após tantos anos de experiência na área.

“Eu acredito que tudo tem sua hora certa para acontecer e agora eu sou uma Lucy madura e preparada realmente para mostrar minha música com garra, com dignidade, então tudo aconteceu na hora certa e eu estou muito feliz de já ter esta bagagem, porque é o que vai me manter nos trilhos”.

E ser musicista, de acordo com a finalista, é a principal força que a mantém no programa. “O programa analisa bem a voz, é claro, mas eles são sensíveis, são emotivos e analisam bem o conjunto. O Carlinhos viu em mim não só uma, mas duas vozes, como ele já falou algumas vezes. Eu sou afortunada porque eu tenho a voz da garganta e consigo me expressar também pela voz da sanfona”, avalia a artista.

Ela ainda lembrou que é a única participante que usa instrumento nas apresentações: “As pessoas lá reconhecem a minha história como instrumentista e não só como cantora e por isso me deixaram tocar. Tem outros participantes que tocam também, mas não acharam interessante que eles tocassem, então eu acho que fui sortuda”. Mantendo a sanfona em suas mãos e o forró como ritmo principal, Lucy está animada por poder por ter um repertório que condiz com sua história musical. “Eles me respeitam, estão entusiasmadas comigo, então eu acho que só vem coisa boa e eu só tenho a crescer no programa. Eu tenho muita coisa ainda a mostrar e eu acho que eles vão me possibilitar isso”.

Mas para ter também um crescimento profissional, a cantora continua com suas aulas de canto. “Por mais que você tenha uma experiência, que você saiba técnicas, é sempre bom estar pesquisando, se informando. É sempre bom ter um acompanhamento de um profissional”, finalizou.

COMENTÁRIOS dos leitores