Aldo Vilela

Aldo Vilela

Jornalista

Os Blogs Parceiros e Colunistas do Portal LeiaJa.com são formados por autores convidados pelo domínio notável das mais diversas áreas de conhecimento. Todos as publicações são de inteira responsabilidade de seus autores, da mesma forma que os comentários feitos pelos internautas.

Brasil, uma chuva de pesquisas eleitorais

Aldo Vilelaseg, 14/05/2018 - 10:03

Em meio a tanta gente querendo ser presidente do Brasil, nada mais natural que uma onda de pesquisas chegue todo dia aos nossos ouvidos. Na mais recente o deputado Jair Bolsonaro é o pré-candidato à Presidência da República que mais se destacou no levantamento feito pelo Instituto Paraná Pesquisas sobre intenção de votos dos eleitores fluminenses. Foram vários os questionamentos colocados na pesquisa. No cenário em que os ouvidos na pesquisa tinham também como opção o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o parlamentar do PSL alcançou 25,1% da preferência, enquanto o petista ficou em segundo lugar, com 21,5% — um empate técnico, levando em consideração a margem de erro de 2,5% para os resultados gerais. Ao todo, foram ouvidos 1.850 eleitores em 44 municípios do Estado do Rio, divididos em grupos por sexo, faixa etária a partir de 16 anos, grau de escolaridade e nível econômico. As entrevistas aconteceram entre os dias 4 e 9 de maio deste ano, período em que o ex-ministro do Supremo Tribunal Federal Joaquim Barbosa ainda não havia decidido se participaria ou não do pleito em outubro, aparecendo, por isso, nos vários cenários expostos pelo instituto.  

Qual o motivo?

Pré-candidato a presidente pelo PSL, o deputado Jair Bolsonaro (RJ) faltou a todos os debates promovidos até aqui por entidades de classe e veículos de comunicação.

Resposta

Os mais próximos dizem que ele teme em precipitar desgaste de imagem ao ser comparado com adversários. Assessores do presidenciável dizem que ele prefere comparecer apenas a entrevistas. Estratégia será reavaliada com a aproximação das eleições.

Ciro quer o PSB

Enquanto as tratativas para uma aliança do PDT e PSB em torno do nome do ex-ministro Ciro Gomes (PDT) para a sucessão presidencial avançam, os pedetistas iniciaram uma articulação para atrair também para a chapa, o PCdoB, que lançou como pré-candidata a deputada estadual Manuela D’Ávila (RS).

Motivos de sobra

Segundo melhor colocado nas pesquisas de intenção de votos entre os partidos de oposição ao governo de Michel Temer, a estratégia de Ciro é sair na dianteira na formação de uma frente que pretende reunir as legendas de esquerda ou pelo menos parte delas já no 1º turno. 

Sem dinheiro

A falta de pagamento aos músicos e agremiações, além da inconsistência na prestação de contas do carnaval de 2018, serão temas da audiência pública, nesta segunda-feira (14/5), promovida pela Câmara Municipal de Olinda.

Justificando

No dia 24 de abril passado, a Câmara Municipal de Olinda devolveu, por inconsistência nas informações, a prestação das contas referentes ao Carnaval de 2018, enviada pela Secretaria de Turismo. O ofício de devolução, encaminhado ao prefeito Lupércio Carlos do Nascimento, foi aprovado por unanimidade por estar “incompleto quanto a descrição e detalhamento das despesas conforme apresenta a Lei 5927/2015”, a conhecida Lei do Carnaval.

Documento

“O documento de prestação de contas do Carnaval tem um total 16 páginas e em 14 páginas apenas relaciona itens de despesas, sem descriminar valores, apenas o total de R$ 8.075.345,00, trata-se uma peça inconsistente e incompleta”, disse o vereador Jorge Federal, presidente da Câmara de Olinda. 

Determinação

“A Lei do Carnaval no seu artigo 50 determina que as receitas e despesas sejam apresentadas de forma detalhada, inclusive citando as despesas ainda pendentes de pagamento e isto não aconteceu, isso compromete uma avaliação correta”, completou a vereadora Graça Fonseca, integrante da Comissão de Legislação, Justiça e Redação.

Rejeitadas

As despesas e receitas do Carnaval de 2017, também rejeitadas pela Câmara de Olinda, estão sendo alvo de uma Tomada de Contas Especial pelo TCE.

A política continua suja no país

Vejam vocês caros leitores, durante entrevista concedida à Rádio Cultura, em Caruaru, nesta sexta-feira passada, o deputado estadual Tony Gel (MDB) recebeu a recebeu a visita inesperada do ex-prefeito José Queiroz (PDT). Adversários históricos na capital do Agreste as duas lideranças políticas vivem um novo momento; ambos são aliados ao governador Paulo Câmara.

Honraria

Tony Gel disse ter ficado “muito honrado” pela visita e teceu elogios ao governo Queiroz. “Ninguém é prefeito quatro vezes de uma cidade da importância de Caruaru por acaso”, defendeu. O parlamentar aproveitou a ocasião para fazer uma análise sobre as divergências que teve com o ex-prefeito em momentos anteriores.

Amigos

O deputado ainda falou sobre as arestas de outrora: “Se nós formos fazer uma análise sobre algumas coisas do passado, nós temos até que pedir desculpas. Tanto eu quanto Queiroz, em dados momentos, quando nos exaltamos, quando falamos determinadas coisas que não levam a nada. A idade da maturidade leva a isso”, relatou.

Ao menos uma boa notícia

Mesmo a economia dando sinais de melhora, em função da recuperação, os empresários pernambucanos estão menos otimistas. É o que revela os dados da Federação das Indústrias do Estado de Pernambuco (FIEPE), sobre o Índice de Confiança do Empresário Industrial (ICEI) do mês de abril. Segundo a pesquisa, o ICEI caiu 0,6 ponto entre março e abril de 2018, ficando estável em relação ao mês anterior.

Estudo

Com a queda pelo segundo mês consecutivo, o ICEI do Estado alcançou 55,1 pontos. Apesar da baixa, a confiança do empresário pernambucano não apresenta grandes variações com relação a sua tendência histórica. Além disso, por estar acima dos 50,0 pontos, continua a indicar otimismo. O ICEI encontra-se 1,8 ponto acima do registrado em abril de 2017.  

Menor expectativa

A queda do ICEI pernambucano deve-se principalmente às expectativas menos otimistas. O índice de Expectativas caiu 2,9 pontos na comparação com março de 2018 e atingiu 56,7 pontos no estado. O índice é 0,2 ponto superior ao registrado em abril de 2017. Os subcomponentes desse índice que mensuram as expectativas com relação à economia brasileira, ao estado e à empresa também apresentaram bom desempenho este mês com relação ao mês anterior e ao mesmo período de 2017. 

Comparando

O índice de Condições Atuais registrou um amento de 3,2 pontos em relação ao mês anterior e marcou 51,8 pontos em Pernambuco. Em comparação ao mesmo período do ano anterior, o índice apresentou melhora de 6,0 pontos. Os subcomponentes desse índice que avaliam as condições atuais com relação à economia brasileira (52,9), à empresa (52,0) e ao estado (50,3) aumentaram com relação ao mês anterior, ultrapassando a linha dos 50 pontos, indicando que o empresário percebe melhora das condições correntes de Pernambuco.

COMENTÁRIOS dos leitores