Aldo Vilela

Aldo Vilela

Jornalista

Os Blogs Parceiros e Colunistas do Portal LeiaJa.com são formados por autores convidados pelo domínio notável das mais diversas áreas de conhecimento. Todos as publicações são de inteira responsabilidade de seus autores, da mesma forma que os comentários feitos pelos internautas.

A sujeira da política e o nosso dia a dia

Aldo Vilelasex, 02/03/2018 - 17:31

Vejam os senhores e senhoras como a nojeira da política se instala onde existe lei da sobrevivência no meio. A conversa séria de bastidores é que a chapa de Paulo Câmara para concorrer à reeleição ao Governo do Estado já está formada. Seria composta pelo deputado estadual Cleiton Collins (PP) como vice-governador, o deputado federal Jarbas Vasconcelos (MDB) e o ex-prefeito do Recife João Paulo (PT) seriam os candidatos ao Senado. Tudo indica que os irmãos Ferreira (Anderson, prefeito de Jaboatão e André, deputado federal e pré-candidato ao Senado) vão apoiar a candidatura de Fernando Bezerra Coelho, pois exigiram uma das vagas ao Senado na chapa de Câmara. Aos poucos as coisas vão se montando para outubro, imaginem O PT que foi esculhambado até a alma pelo PSB, está de volta ao ninho socialista, e de lambuja vai disputar lado a lado com o hoje deputado Jarbas Vasconcelos uma vaga no senado. Enquanto eles se arrumam o povo besta e com cara de palhaço segue a vida.

Ficha suja pega quase todos

O Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu nesta quinta-feira (1º) manter a aplicação da Lei da Ficha Limpa a políticos condenados por abuso de poder em campanha antes de 2010.

Decisão

A decisão havia dado em outubro do ano passado, mas o ministro Ricardo Lewandowski pediu que os efeitos fossem restringidos.

Acão

Na prática, o que o STF julgou nesta quinta foi a modulação dos efeitos da decisão de outubro, ou seja, se haveria um marco temporal para a aplicação da lei.

Determinação do ministro

Na sessão desta quinta, Lewandowski propôs aplicar o entendimento somente a partir das eleições de 2018, não a todos os casos. "A prosperar a decisão desta Suprema Corte em que foi alcançada por uma maioria muito estreita, nós atingiríamos o mandato de 24 prefeitos, abrangendo cerca de 1,5 milhão de votos, um número incontável de vereadores e não se sabe quantos deputados", argumentou o ministro.

Tudo ao contrário neste país

Os juízes federais devem ter a companhia dos da Justiça do Trabalho na paralisação do dia 15. Com o apoio do conselho de representantes, a Anamatra vai consultar seus associados sobre a adesão ao ato.

Justificativa

O presidente da associação, Guilherme Feliciano, diz que a suspensão das atividades não é movida só pela defesa do auxilio moradia “Há a desvalorização dos subsídios, a inexistência de um modelo remuneratório único e os projetos que ameaçam a independência do juiz”, diz.

Apoio

A Associação Nacional dos Procuradores da República vai dar corpo à rebelião com atos pelo país. As entidades devem preparar um texto conjunto em nome do que chamam de garantias da magistratura e do Ministério Público.

Promessas mentirosas

O presidente Michel Temer prometeu criar 3 milhões de empregos nos próximos 10 meses. Em vídeo divulgado nas redes sociais na noite desta 5ª feira (1º.mar.2018), Temer comemora a alta de 1% do nível de atividade econômica brasileira do ano passado, medida pelo PIB (Produto Interno Bruto). Nos últimos 2 anos, os resultados foram negativos.

Aos amigos tudo

Demitido do cargo de diretor-geral da Polícia Federal, o delegado Fernando Segovia não perde por esperar. Ganha. Foi premiado por Michel Temer com o posto de adido da PF na embaixada do Brasil em Roma. Durante três anos, sua renda mensal bruta será de pouco mais de R$ 56 mil.

Prêmio pela bajulação

O valor líquido ultrapassará os R$ 51 mil. A cifra equivale a uma vez e meia o salário do presidente da República e dos ministros de Estado, limitado a R$ 33,7 mil, o teto remunetário do serviço público.

Me dá um dinheiro aí

A euforia deixou o processador mental de Michel Temer sobrecarregado. O presidente exagera na empulhação. Duas semanas depois de decretar intervenção federal na segurança do Rio de Janeiro, Temer reuniu os governadores em Brasília. Trombeteou-se na reunião a liberação de R$ 42 bilhões para que governadores e prefeitos reequipem suas

COMENTÁRIOS dos leitores