Estudante supera depressão e ganha vaga em Medicina

Marcelo Gaia Epifane, calouro da Universidade Estadual do Pará (Uepa) de Marabá, conta como conseguiu uma chegar ao ensino superior depois de problema de saúde

por Brenna Pardal seg, 28/01/2019 - 18:02
Facebook Marcelo Epifane: exemplo de superação Facebook

Diante de tantas emoções com o resultado do vestibular da Universidade Estadual do Pará (Uepa), na última sexta-feira (25), um caso que chamou bastante atenção dos internautas foi a história de Marcelo Gaia Epifane. Depois de passar dois anos sem estudar por problema de depressão, Marcelo deu a volta por cima e foi aprovado no curso de Medicina do município de Marabá, sudeste do Pará.

Em rede social, Marcelo contou sua trajetória até chegar ao dia da aprovação. Segundo o relato, em 2014, durante seu terceiro ano do ensino médio, no segundo semestre, ele sucumbiu à depressão e com isso parou de estudar e perdeu o ano letivo. “Eu não saía de casa, não via e nem falava com ninguém que não fosse pertencente ao meu seio familiar”, explicou.

Em 2015, Marcelo continuou sem estudar. Lembrou o quanto foi difícil ver seus amigos se formando no ensino médio e ingressando na universidade. “Com uma tentativa de escape da realidade, tentei suicídio, pois acreditava que eu não seria nada além daquilo; um cara com medo de se olhar no espelho; medo de enfrentar a vida da porta para fora”, disse.

“Sabemos que esse tipo de pessoa não sobrevive em uma sociedade que te impõe buscar constantemente por resultados profissionais apreciáveis, mesmo que o teu emocional esteja decadente. Mas algo me impediu e trouxe um sopro de esperança e confortou o meu coração e me fez tentar renascer”, desabafou Marcelo.

Marcelo Epifane contou que muitas pessoas o criticaram por ter largado os estudos, mas em nenhum momento foram conversar com ele para entender o que estava acontecendo. Ele destacou a importância da família nesse período. “Foi com o amor de Cristo e o apoio da minha família que nasceu em mim a força para iniciar um tratamento, que foi muito difícil e continua sendo, mas foi fundamental para eu voltar à minha vida, embora tudo o que passei tenha me modificado profundamente”, disse.

Em 2016 Marcelo voltou a estudar e concluiu o ensino médio. Em 2017, passou no curso de Química e Letras e um ano depois, 2018, passou em Direito, Odontologia, Fisioterapia e Psicologia. Agora, em 2019, no curso de Medicina. Ele ressalta que  agora está dando um passo para o caminho que o levará a salvar vidas.

“Para uma alma caridosa não é necessário ter um diploma para tal feito, basta ter empatia pelo próximo, por aquele garoto, aquela garota que está depressivo (a). Reduza o amargo da vida dele (a). Seja gentil! Entenda-os! Ajude-os! Acredite! Eu sou estou aqui porque alguém me ajudou”, concluiu o calouro de Medicina.

 

COMENTÁRIOS dos leitores