MEC demite 11 pessoas após polêmica dos livros didáticos

Entre os funcionários exonerados está o chefe de gabinete do FNDE, Rogério Fernando Lot, que teria sido o responsável por assinar o edital com as mudanças nos livros didáticos

por Marcele Lima sex, 11/01/2019 - 15:52

O Ministro da Educação, Ricardo Vélez Rodrígues, exonerou o chefe de gabinete do Fundo Nacional para o Desenvolvimento da Educação, FNDE, Rogério Fernando Lot e mais 10 pessoas que ocupavam cargos comissionados. A decisão foi tomada depois da polêmica envolvendo a mudança no edital dos livros didáticos.

Lot foi o responsável por assinar a retificação do edital de livros didáticos para o ensino fundamental, que deixava de exigir que as obras trouxessem referências bibliográficas, pudessem conter erros e exclua conteúdo quilombola e de combate à violência contra a mulher e ainda permitia a inclusão de propagandas.

Após a publicação do edital no Diário Oficial e a repercussão do tema, o MEC se pronunciou dizendo que nem Vélez nem Jair Bolsonaro decidiram fazer as mudanças, colocando a decisão em cima do governo de Michel Temer, que foi negado pelo ex-ministro da pasta Rossieli Soares Silva. Vélez pediu abertura de sindicância para apuração dos fatos.

A decisão foi publicada no DOU. Em nota oficial, o Ministério da Educação afirmou que as exonerações foram parte da "reorganização administrativa" da nova gestão, "e não têm relação com o erro na publicação da retificação do PNLD 2020".

COMENTÁRIOS dos leitores