Saiba tudo sobre medicina, o curso mais concorrido do país

Medicina é uma das áreas mais bem remuneradas do Brasil, além de apresentar índices consideráveis de empregabilidade

por Fábio Filho qui, 10/01/2019 - 14:40
Júlio Gomes/LeiaJáImagens Ricardo Andrade é aluno do quarto período da graduação Júlio Gomes/LeiaJáImagens

Medicina é uma das graduações mais procuradas e concorridas da área de saúde. Um médico é responsável pela saúde humana, prevenindo, diagnosticando e tratando diversas doenças. O bacharelado em medicina tem tempo mínimo de seis anos e habilita profissionais recém-formados para atuar em hospitais, unidades básicas de saúde, clínicas e até mesmo atendimento domiciliar. 

De acordo com o Censo de Educação Superior de 2017, 150.581 mil estudantes ingressaram no curso e 17.204 mil concluíram a graduação no mesmo ano. O levantamento realizado pelo Ministério da Educação (MEC) aponta que 298 cursos de medicina são oferecidos no país. Ainda segundo o Censo, 244 faculdades e centro-universitários oferecem a graduação, 91 desse total em instituições privadas e 153 nas públicas. 

Dados divulgados pelo Conselho Federal de Medicina (CFM) apontam que o número de médicos no Brasil aumentou 665,8% em menos de cinco décadas. De acordo com a Demografia Médica de 2018, 452,8 mil médicos atuam no país. 

Para a coordenadora adjunta do curso de medicina na UNINASSAU – Centro Universitário Maurício de Nassau, Geovanna Cabral, o estudante de medicina deve estar sempre buscando conhecimento sobre as patologias humanas, bem como, as diversas formas de tratamento empregadas em cada caso. “Com a graduação de medicina, o estudante fica preparado tanto na parte acadêmica quanto na parte profissional. É importante que o discente foque tanto na base científica quanto na parte prática. Assim, o aluno vai se desenvolver naquela área que pretende atuar. Para ser um bom médico é necessário estar atualizado do que acontece na área de saúde, bem como, novos tratamentos para doenças e outras especificidades”, pontua. 

Mercado de Trabalho 

A realidade do mercado de trabalho para área de medicina contém diversos desafios. Renúncia e dedicação são algumas das principais tarefas necessárias a todos os profissionais de saúde. De acordo com o médico Cláudio Lacerda, os profissionais recém-formados que estão prestes a ingressar no mercado de trabalho devem ter em mente a responsabilidade que é tratar da saúde dos pacientes e entender a rotina da profissão como um exercício diário de sacrifícios. 

“A medicina é uma carreira diferente das outras, você lida com a saúde das pessoas e isso é uma coisa muito séria. Então é preciso que os médicos sejam muito bem formados, também é preciso que eles tenham sensibilidade social, espirito de solidariedade humana e sejam pessoas muito dedicadas e conscientes da necessidade do exercício da cidadania no sentido da solidariedade humana. Isso faz com que a carreira implique sacrifícios no cotidiano, sacrifícios no dia a dia”, destaca. 

Embed:

Ainda segundo Lacerda, o cenário mercadológico para médicos no Brasil é bastante promissor e a procura pelos serviços de saúde deve aumentar no decorrer dos anos. “O mercado de trabalho para médicos no Brasil sempre foi muito promissor. Sempre existiu uma carência de médicos tanto no setor público quanto no setor privado. Todos nós sabemos que não existe médico desempregado no Brasil e eu acho que essa realidade não vai se modificar porque ao passar do tempo aumenta a longevidade, aumenta o acesso aos cuidados com a saúde da população, aumenta a especialização no exercício da medicina, e consequentemente, todos esses fatos convergem no sentido de que os números de médicos necessários para atender a população sejam cada vez maiores”, afirma. 

Salário 

Medicina é uma das áreas mais bem remuneradas do Brasil, além de apresentar índices consideráveis de empregabilidade. No período de 10 anos, o piso salarial dos médicos quase dobrou. 

Dados divulgados pela Federação Nacional dos Médicos (Fenam) apontam que o piso salarial para a uma jornada de trabalho de 20 horas semanais em 2009 era de R$ 8.239. Atualmente, o valor é equivalente a R$ 14.134,58. Segundo a entidade, os valores são reajustados anualmente com o intuito de orientar as diretrizes salariais da categoria para negociações contratuais. Confira a evolução nos valores salariais dos médicos de 2008 até hoje

Para o presidente da Fenam, Jorge Barros, os reajustes realizados nos salários dos profissionais remuneram com dignidade os médicos do país. “O piso da Fenam é calculado a partir da lei 3.999/61, nessa data o Congresso legislou por um piso nacional dos médicos e carga de trabalho. Em 1961, o piso estava calculado em três salários mínimos. A partir de 1988, com a nova constituição, esse valor passou a ser atualizado. Não dá mais para pensar em ter um médico ganhando R$ 3 mil, tendo condições de trabalho precárias. Hoje nós temos um piso salarial por uma jornada de 20 horas de trabalho que remunera com dignidade o profissional médico”, pontuou. 

Trajetória acadêmica 

O estudante Ricardo Andrade, de 30 anos, que está no quarto período da graduação, afirma que o curso de medicina requer dedicação exclusiva aos estudos. “O aluno que pensa em fazer medicina tem que ter bastante foco e determinação. Antes de entrar na faculdade, é preciso que o estudante mantenha uma rotina de estudos. Essa rotina de estudos requer noites de sono perdidas e finais de semana renunciados para que ele tenha êxito na sua formação e também se dedique nos seus horários livres em estar aprendendo na prática em hospitais, clínicas e tantas outras experiencias quer possam somar no seu currículo”, diz.  

Ricardo destaca que a escolha pelo curso vem da aptidão nos trabalhos de saúde do corpo humano. “O curso de medicina sempre foi um sonho para mim. A graduação traz uma possibilidade de atuação do profissional no auxílio da completude da saúde e do bem-estar das pessoas. Então, a medicina me possibilita isso, você trazer a sua capacitação, tanto técnica como científica, para ajudar e humanizar o processo de saúde das pessoas”, conclui.  

 

COMENTÁRIOS dos leitores