MEC abre sindicância para apurar caso dos livros didáticos

Não há previsões para a conclusão das apurações

por Fábio Filho qui, 10/01/2019 - 15:53
Marcello Casal Jr/Agência Brasi Em nota, o MEC afirma que 'irá se pronunciar após os resultados das investigações' Marcello Casal Jr/Agência Brasi

O Ministério da Educação (MEC) abriu sindicância para investigar caso de mudança no edital dos livros didáticos distribuídos nas escolas públicas do Brasil. O texto publicado no Diário Oficial da União (DOU) no último dia 2 de janeiro, retirava a exigência de obras que retratassem a diversidade étnica e o compromisso com ações de combate a violência contra mulher.

Após críticas, O MEC anunciou o cancelamento das modificações no edital e afirmou que as referidas mudanças foram realizadas pelo governo do ex-presidente Michel Temer. Responsável pela pasta até o dia 31 de dezembro de 2018, o ex-ministro da pasta, Rossieli Soares, destacou que “todos os atos a partir do dia 1º de janeiro são de responsabilidade do novo governo”.

Em nota divulgada nesta quinta-feira (10), o MEC informou que “irá se pronunciar após os resultados das investigações”. A pasta ainda afirmou que o governo Bolsonaro tem compromisso com a educação igualitária para todos. “O MEC reitera o compromisso com a educação igualitária para toda população brasileira e desmente qualquer informação de que o Governo Bolsonaro ou o ministro Ricardo Vélez decidiram retirar trechos que tratavam sobre correção de erros na publicação, violência contra a mulher, publicidade e quilombolas de forma proposital”.

 

COMENTÁRIOS dos leitores