Carta ameaça professores da Universidade de Pernambuco

Documento, que circula nas redes sociais, afirma que docentes serão banidos da UPE

qui, 08/11/2018 - 16:53
LeiaJáImagens/Arquivo UPE LeiaJáImagens/Arquivo

Um suposta carta destinada a professores da Universidade de Pernambuco (UPE), contendo mensagens ameaçadoras, está circulando nas redes sociais nesta quinta-feira (8). O documento intitulado "A doutrinação vai acabar. É o mito. Ustra Vive!" faz menção a alguns docentes da instituição, pede "universidade sem partido" e afirma que "vai ter limpeza de comunista na UPE".

Em tom agressivo, o conteúdo da carta exalta o coronel Brilhante Ustra, responsável por torturar pessoas no regime militar em 1964, e o presidente eleito Jair Bolsonaro. "O curso de história será fechado para acabar com a mentira dos professores doutrinadores comunistas", afirma o documento. "Queremos universidade sem partido e a direção vai ter que aceitar", completa a carta.

Em vários trechos, a mensagem aponta docentes da UPE como doutrinadores e adjetiva alunos como "esquerdistas", "maconheiros" e "gayzistas". Por questões de segurança, os nomes dos professores não serão citados. No final da carta, o autor deixa a mensagem: "Brasil: ame-o ou deixe-o", slogan utilizado no regime militar.

De acordo com um dos professores citados na carta, a sensação é de insegurança. "Nesse contexto atual, a gente fica um pouco inseguro, mas o importante é que a universidade está tomando as medidas necessárias", declara. O docente ainda afirma acreditar que nenhum professor sairá da instituição, como diz o documento. "Todos os professores vão continuar a fazer seus trabalhos, debater o que tiver de ser debatido, dialogar o que tiver de ser dialogado. Tenho certeza que nenhum dos docentes é doutrinador, mas sim grandes pesquisadores", completa.

Ao LeiaJá, a assessoria de imprensa da UPE confirmou que cartas foram encontradas em quadro de avisos do Campus Mata Norte. A direção da unidade comunicou o fato à Reitoria. De acordo com a assessoria, já estão sendo tomadas medidas judiciais. Uma publicação com o mesmo conteúdo ameaçador também circulou pela internet contra os professores da Universidade Federal de Pernambuco.

COMENTÁRIOS dos leitores