Aluno da UFPE acusa professor de agressão durante protesto

Estudante afirmou quase levar um tapa de um docente de filosofia enquanto o filmava em um protesto dentro do campus

por Camilla de Assis ter, 09/10/2018 - 18:13
Camilla de Assis / LeiaJáImagens Ato foi realizado em frente ao Centro de Filosofia e Ciências Humanas (CFCH) Camilla de Assis / LeiaJáImagens

Uma sessão de cinema realizada no auditório do Centro de Filosofia e Ciências Humanas (CFCH) da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) acabou em confusão na tarde desta terça-feira (9). Um dos professores de filosofia da instituição, Roberto Jungmann, foi acusado de agredir verbalmente e tentado praticar agressão física contra um estudante de jornalismo que não quis se identificar, após o discente ter realizado uma filmagem sua.

A desentendimento aconteceu assim que um grupo de alunos da UFPE se reuniu na entrada do CFCH para protestar contra a exibição do filme “José Bonifácio - o fundador do Brasil”. “Eu estava filmando a situação e ele virou a mão para bater em mim. Só não atingiu porque o pessoal foi todo em cima dele”, disse o estudante. O aluno ainda explicou que não esperava o acontecido. “Se não tivesse sido os outros alunos, eu estaria com um tapa na cara ou até mesmo na delegacia. Fiquei muito nervoso com o que aconteceu”, contou.

Segundo o estudante de design Ícaro Soriano, o filme seria um pretexto para realização de uma campanha partidária a favor do presidenciável Jair Bolsonaro. “Isso é crime eleitoral e deveria ser realizada uma denúncia junto ao TRE (Tribunal Reginal Eleitoral). Ele veio aqui para intimidar os alunos petistas e ficou filmando o que estava acontecendo”, disse.

Procurado pela reportagem do LeiaJa.com, o professor Rodrigo Jungmann afirmou que não realizou qualquer tipo de agressão. “Vi que estava acontecendo uma algazarra do lado de fora do prédio e fui filmar. Quando o fiz, um estudante veio tapar a visão do meu celular com o celular dele. O que eu fiz foi abaixar o braço do rapaz, não agredi ninguém. Quando estava voltando para o auditório, levei uma cusparada de um rapaz, mas felizmente não bateu em mim”, relatou o docente.

A UFPE informou que a segurança da instituição foi acionada para conter os ânimos e amenizar a situação.

Saída

Durante a saída da sessão do filme, os alunos que estavam reunidos na entrada do CFCH hostilizaram as pessoas que deixavam o prédio. Aos gritos uníssonos das palavras "fascistas", "não passarão" e "ele não", os estudantes protestaram contra a exibição da longa. Um dos participantes do evento realizado no auditório do prédio simulou atirar, com gestos semelhantes aos utilizados pelo candidato Jair Bolsonaro, nos que reinvidicavam. Em seguida, o professor acusado da agressão deixou o prédio pelos fundos e se abrigou em uma lanchonete, enquanto continuava sendo retaliado pelos alunos. Para sair das dependências da UFPE, o docente precisou de escolta dos seguranças da universidade.

Tags:

COMENTÁRIOS dos leitores