Seleção de emprego: os segredos de uma dinâmica de grupo

Atividade em grupo é utilizada pelas empresas durante seleções. Procedimento também pode ser feio pela internet. Saiba como ter um grande resultado

por Juan Gouveia dom, 10/06/2018 - 09:14
Pixabay O processo costuma causar receio para os candidatos Pixabay

A busca por um emprego esbarra em uma série de avaliações realizadas por selecionadores. A primeira etapa costuma ser o envio do currículo, logo depois, outras fases são desenvolvidas, entre elas a dinâmica de grupo. Essa fase é uma das que podem causar apreensão e nervosismo por parte dos candidatos. Nela, as atividades são realizadas em grupo e são avaliados diversos pontos que podem auxiliar na escolha do contratado para a vaga oferecida.

Para conquistar um novo emprego, Flávio Barros, 27, passou por um processo seletivo que foi contemplado por diversas fases. Na etapa de dinâmica de grupo, Flávio relembra como foi o processo: “Solicitaram a resolução de situações adversas. Em grupo, precisávamos discutir a melhor forma de solucioná-la. Foi tudo muito calmo e não tive muitos problemas”.

Concorrendo à vaga de implementador de sistemas, de uma empresa de gestão de saúde, Flávio pontua que as situações tiveram relação com a função desejada. “Eles criaram situações que estavam interligadas com o perfil da vaga. Tudo ali poderia está acontecendo no dia a dia de nosso trabalho. Os psicólogos ficavam atentos às nossas conversas e comportamento”.

De acordo com Nara Saraiva, consultora de Recursos Humanos, o processo de preparação das dinâmicas visa atender às necessidades de cada cargo. Sendo assim, não há uma fórmula exata. “A mesma atividade desenvolvida para seleção de secretárias não pode ser aplicada para de vendedores. São diferentes situações”, explica. Dessa forma, na hora de formular a dinâmica, os recrutadores buscam aplicar atividades que analisem as competências do candidato frente à realidade das vivências para o cargo em questão.

A busca do perfil

A realização de uma dinâmica de grupo serve para as empresas entenderem como a pessoa se comporta em relação ao grupo. “Pontos relacionados à desenvoltura, características de sociabilidade, espontaneidade e liderança são observadas pelo recrutador”, explica Nara. Os pontos analisados devem atender ao perfil desejado da vaga.

Durante esse processo são comum entre os candidatos o nervosismo e muita timidez, o que faz concorrentes recuarem na hora de realizar as atividades. A consultora em RH explica que, para esses candidatos, o segredo é tentar participar e colocar de lado os receios. “Os selecionadores estão tentando entender o comportamento do indivíduo frente às realidades, para isso, é realizada a observação. O importante é contribuir para o coletivo durante a atividade”, orienta.

Mesmo com a sua aplicação, segundo Nara, essa fase não é a definidora de um candidato durante a seleção. “A dinâmica não é 100%, pois ela analisa, principalmente, o comportamento e desenvolvimento dos candidatos em relação à função desejada”, explica. Ainda de acordo com a profissional, o entrevista, realização de testes e outras fases contribuem na escolha do profissional.

Quebrando as barreiras geográficas

Com o avanço tecnológico, a internet contribuiu para a ampliação no processo de seleção. As dinâmicas em grupo que acontecem em espaços físicos, hoje, também, podem ser realizadas de qualquer lugar do planeta. “Esse avanço possibilita recrutar bons candidatos de qualquer lugar”, explica Milie Haji, gerente de projetos da Cia de Talentos, empresa especializada na realização desse processo online.

Nessa modalidade as atividades são acompanhadas por uma consultora durante videochamada com os candidatos. Em média sete pessoas desenvolvem as atividades específicas de acordo com a vaga. “São observados o poder de comunicação, liderança e relação com os outros participantes durante esse processo”, explica a gerente.

Ainda de acordo com a profissional, essa etapa é um processo intermediário entre uma possível fase de dinâmica de grupo presencial. “Ela, de fato, pode eliminar ou não a fase presencial. Mas consideramos importante como um fator intermediário. A decisão se dá pela empresa solicitante”, explica.

Dicas

Tanto para a realização da modalidade presencial ou online existem dicas para o candidato obter um melhor resultado durante a fase. Para as consultoras Milie Haji e Nara Saraiva, a principal orientação é ser você mesmo e estar atento a outros pontos importantes:

Não tente ser o que não é

É muito comum os candidatos tentarem mascarar sua personalidade e comportamento para conquistar a vaga. Para tanto, os recrutadores estão preparados para observar as reações adversas. O segredo nesse caso é não mascarar sua personalidade.

Espontaneidade é tudo

Para se dar bem, antes de tudo, é preciso ser espontâneo. Buscar se comunicar e estabelecer uma boa relação entre os outros participantes. Além de entender que esse processo contempla uma análise sobre seu comportamento, é preciso mostrar a sua espontaneidade.

Cuidado com o que fala

Durante o processo, evite falar palavrões e agir de forma rude com os outros participantes. Lembre-se, você precisa encarar a dinâmica de forma séria. Esse processo contribui para a sua qualificação durante a seleção.

Preparação prévia pode ajudar

Procure entender mais sobre a vaga e empresa. Os candidatos que conseguem definir qual a importância de sua função mediante a realidade da empresa.

Cuidado com o que veste

Para quem vai fazer a etapa presencialmente, é necessário entender o que se espera do candidato. A roupa é um item importante. Procure entender os códigos de vestimenta da empresa. Esse detalhe pode contribuir para mostrar como é a sua imagem profissional frente aos outros.

Não se atrase

Tanto pessoalmente, quanto online, o atraso sempre deve ser evitado. Procure sair mais cedo de casa, observar os horários do transporte público e o trânsito. É importante ser pontual para mostrar o seu comprometimento com o processo, além de não atrapalhar o andamento das atividades.

Quando é na web...

Para a etapa virtual, o candidato deve estar atento à conexão. Ter uma boa internet é imprescindível. Verificar o funcionamento da câmera e microfone é muito importante. Outra dica é ter cuidado com o visual atrás de você: arrume os livros, materiais, ou seja, a bagunça não pode ser bem vista.

Seja verdadeiro com sua história

O candidato deve prestar atenção quando falar sobre suas experiências anteriores. Dar valor ao trabalho como uma boa oportunidade é um bom começo. Além disso, não mentir em relação a sua trajetória de vida e conhecimentos. 

LeiaJá também

--> Veja cinco exemplos de colegas de trabalho 'tóxicos'

--> Currículo: 4 mudanças que estão chegando às seleções

COMENTÁRIOS dos leitores