Mulheres ganham menos e gastam mais tempo com familiares

Dedicação a afazeres domésticos é 73% maior para elas, segundo IBGE

por Aquiles Marchel Argolo qua, 07/03/2018 - 16:30

IBGE mostrou que aumento de mulheres no mercado de trabalho não afetou a jornada delas com os trabalhos domésticos. A jornada dupla ainda é um problema muito maior para elas do que para eles.

Segundo o instituto elas gastaram 73% a mais de tempo com afazeres domésticos do que os homens. 18,1 h para as mulheres e 10,5h para os homens.

“Mulheres necessitam conciliar o trabalho remunerado com afazeres domésticos, em muitos casos acabam trabalhando em ocupações com carga horária reduzida”, diz o IBGE.

A proporção das que trabalham em período parcial, de até 30 horas ficou em 28,2% em 2016. Já o percentual dos homens ficou em 14,1%.

No recorte por etnia a disparidade é ainda maior (31,33% entre as pretas e 25% entre as brancas).

Os rendimentos das mulheres segue sendo ¾ dos que os homens recebem.

Um dado positivo é que o nível de escolaridade delas cresceu em relação aos homens considerando os últimos 30 anos. A frequência escolar ficou num patamar parecido para ambos (87,1% para mulheres e 87,4% para homens). Na faixa etária entre18 e 24 anos a frequência feminina supera a masculina (34,1% contra 31,6% deles).

Já entre a população com idade a partir de 25 anos com ensino superior completo os homens aparecem com 13,5% e as mulheres apontam com16,9%.

Essa diferença na escolaridade está ligada a entrada precoce dos homens no mercado de trabalho.

 

Fonte: IBGE

 

COMENTÁRIOS dos leitores