Saiba como fazer uma boa prova de português em concursos

Um das dicas importantes é saber a diferença entre compreensão e interpretação de textos

por Lara Tôrres qui, 16/03/2017 - 09:13
LeiaJáImagens Disciplina é uma das mais cobradas nos certames LeiaJáImagens

Com o cenário de crise econômica e desemprego, os concursos públicos se tornam ainda mais atraentes devido à estabilidade, segurança salarial e possibilidade de plano de carreira que o trabalho nos órgãos públicos oferece. A concorrência por uma vaga é alta, sendo necessário que os candidatos, conhecidos popularmente como “concurseiros”, se dediquem bastante e busquem sempre o maior nível possível de aprendizagem e acertos.

De acordo com o professor Marcelo Bernardo, que dá aulas em cursos preparatórios para concursos há mais de 20 anos, a prova de português, ano após ano, “vem se destacando com grandes diferenciais competitivos, decisivos para a aprovação dos candidatos, sobretudo nos concursos de nível superior, a exemplo de Analista Judiciário e Oficial de Justiça, na área dos tribunais, Auditor, na área fiscal, entre outros". Segundo o docente, "uma grande parcela desses candidatos já possui uma formação na área jurídica”, sendo importante dedicar uma atenção especial ao estudo desta matéria. 

Perguntado sobre quais são os assuntos mais frequentemente cobrados pelas bancas que elaboram as provas dos concursos, o professor Marcelo afirmou que os candidatos devem estudar bem a parte de análise de textos (a compreensão e interpretação textual); o valor semântico de palavras e expressões; coerência e coesão textual; concordância verbal; regência verbal e nominal com pronomes reativos e estudo da crase; pontuação e, por fim, o emprego das diversas classes de palavras. 

Confira a seguir as dicas do professor:

1. Conheça bem a banca examinadora e os assuntos mais recorrentes, por meio da análise de provas de concursos anteriores, a fim de se familiarizar com as abordagens.   

2. Ao identificar os tópicos gramaticais mais relevantes, resolva muitos exercícios para fixar bem as regras estudadas. Assista a videoaulas para complementar os estudos teóricos, não se limite ao livro (gramática). 

3. Com relação ao estudo de Análise de Textos, resolva muitas questões de provas anteriores, e esteja atento à diferença básica entre compreensão e interpretação de textos. A compreensão consiste em analisar o que realmente está escrito, ou seja, coletar dados do texto (informações explícitas). São enunciados típicos: “Com base no texto...”; “Segundo o texto...”; “Pela compreensão global do texto...”, “O autor afirma que...”, entre outros. Já a interpretação consiste em saber o que se infere (conclui) a partir do que está escrito (informações implícitas; entrelinhas). São enunciados típicos: “O texto possibilita o entendimento de que...”, “O texto encaminha o leitor para...", "A ideia central que perpassa o texto...”, “Infere-se/Depreende-se do texto...”, entre outros.

4. Nunca comece a prova de português pela leitura do texto. Inicie pelas questões mais simples de gramática, até entrar no clima da prova. A ansiedade dos minutos iniciais não favorecem a reflexão interpretativa inferencial. 

5. Quando for partir para as questões de análise de textos (compreensão ou interpretação), antes mesmo de ler o texto, faça uma breve análise das palavras-chave das questões propostas e dos seus respectivos enfoques. Primeiro, faça um breve levantamento do que será efetivamente perguntado a você; só depois, comece a leitura dirigida do texto, focando no que realmente é importante.

COMENTÁRIOS dos leitores