Biblioteconomia: Os profissionais dos livros

As bibliotecas são apenas uma das várias opções desse profissional

por Alexandra Gappo | qua, 18/04/2012 - 12:07
Compartilhar:

 

Foto: André Nogueira/LeiaJáImagens A biblioteconomista Cynthia Monteath se orgulha por trabalhar com os livros A biblioteconomista Cynthia Monteath se orgulha por trabalhar com os livros

Quem pensa que bibliotecária trabalha, apenas, rodeadas de livros velhos em grandes estantes, está muito enganado. A profissão evoluiu e não se restringe apenas às livrarias.

Os estudantes que procuram a profissão se surpreendem ao deparar com tantos campos de trabalho. De acordo com Murilo Araújo (foto abaixo), professor e coordenador do curso de Biblioteconomia da Universidade Federal de Pernambuco, “O profissional está cada vez mais inserido em empresas, hospitais, museus, editoras, rádio, TV e Internet”, explica. Apesar de ser a única instituição a oferecer a graduação no estado, o curso da UFPE, tem concorrência de 2,8 alunos por vaga. A procura não é grande, devido a pouca divulgação do curso e da profissão, mas estudantes que decidem mergulhar nesse campo devem ter um dote muito específico: organização. 

O professor explica que a “principal atividade do profissional da área é organizar o fluxo de informação que existe no ambiente de trabalho”. O coordenador ainda ressalta que nos quatro anos de curso, os estudantes abordam disciplinas técnicas, humanísticas e instrumentais.

Ruhana Berg (foto abaixo), estudante do 8° período da graduação e estagiária do Tribunal Regional Federal, não contava em encontrar tantas oportunidades na profissão. “Assim que entrei no curso de biblioteconomia, pensava que iria trabalhar apenas em biblioteca, arquivo e acervo, mas me deparei com um mercado de trabalho amplo e fácil de se inserir”, afirmou a estudante. Segundo o coordenador, dos 34 alunos formados em 2011, 60% já saíram empregados. 

De acordo com dados do Conselho Regional de Biblioteconomia, atualmente, existem 700 profissionais cadastrados no órgão. Há muitas oportunidades para poucos profissionais. A maior parte dos formados ainda sonha em trabalhar em grandes bibliotecas. Cynthia Monteath exerce a função de bibliotecária na Associação de pais e alunos excepcionais (APAE) há seis anos. "Me sinto muito realizada na profissão, sempre ajudo aos professores escolherem livros, CDs e DVDs  para a instituição. A biblioteca é um ambiente diferente, fico feliz, pois vejo que os alunos estão ficando acostumados em frequenta-la”, afirma  a profissional que se orgulha de ter escolhido os livros como companheiros. 

Embed

 

Com informações da repórter Samara Loppes

| | | Link:
Compartilhar:

Facebook

Carregando